O Poder das Pausas para a Alta Performance dos Empreendedores

Empreender é uma tarefa muito solitária na maioria da vezes. Quantos “eupresas” você tem visto à sua volta?

É o que mais se vê nos dias de hoje, com o crescimento de empreendedores individuais batendo todos os recordes, dada a nossa conjuntura econômica.

Daí surge uma grande dificuldade inerente a esse desafio de empreender sozinho, que é conseguir pausar em algum momento para recarregar as baterias. O empreendedor vai negligenciando essa importante aliada para os seus resultados: a pausa.

Pausas curtas e disciplinadas ao longo do dia, e também as periódicas mais extensivas, são o combustível da saúde física e mental, sem as quais o empreendedor não vai muito longe.

Sim, porque se não houver pausa, existe uma grande chance de se criar um quadro de stress, uma síndrome de burnout, uma doença grave, e assim colocar tudo a perder.

Em 2015 estive na High Performance Academy com o maior coach do mundo nessa área, o Brendon Buchard, e a pausa foi um dos um dos pilares apresentados para a Alta Performance na vida e nos negócios.

A pausa ao longo da jornada diária, além de servir para se hidratar, se esticar, descansar a mente, é responsável por aumentar a sua clareza mental e manter o seu foco, ambos fundamentais para obter mais produtividade em um dia de trabalho.

Uma dica para se disciplinar é usar o alarme do celular e se obrigar a dar aquela paradinha por cerca de 10 minutos a cada 1 hora pelo menos, até que ela vire um hábito consolidado.

Portanto, mesmo que esteja se sentindo super disposto para ir em frente e “terminar logo” aquela tarefa, saiba que a disciplina de parar por alguns minutos acarreta em menor perda cognitiva durante o processo. Existe até uma frase em inglês que diz: “Work smarter, not longer”.

O difícil é convencer o empreendedor que ele precisa aprender a pausar quando está possuído pela vontade de caminhar rápido e encara diariamente uma enorme fila de tarefas com quase nenhuma equipe, especialmente quando o negócio está começando. Mas é preciso experimentar e colher os benefícios desse hábito.

A pausa pra mim nunca foi uma tarefa fácil. Sempre fui conhecida nas empresas que trabalhei pela dedicação extrema e pela tendência workaholic. Na minha época corporativa esse era um perfil muito valorizado e isso coincidia com a crença que aprendi cedo em casa: “de que é preciso trabalhar muito duro pra fazer sucesso e dinheiro”

Descobri em minhas buscas de desenvolvimento pessoal que essa é a crença limitante que mais me atrapalhava e até hoje luto com ela. Crenças definem nosso modo de agir na vida. Aos poucos fui vendo que essa é apenas uma crença e não uma verdade absoluta,  afinal, quantas pessoas bem sucedidas eu conheço que não precisam trabalhar em esforço extenuante para terem sucesso naquilo que fazem.

Fato é que, enquanto pensarmos assim, estaremos comandando nosso cérebro para que o processo de ganhar dinheiro seja sofrido e exaustivo. Nosso cérebro vai trabalhar para manifestar uma realidade coerente com as nossas crenças, afinal esse é o papel dele. E assim, vai ser sempre difícil e exaustivo ganhar dinheiro.

Com muita consciência dessa crença, e muita disciplina para me permitir pausar,  esse ano começou diferente (2017). E de fato tem sido um ano bem mais leve, as metas continuam desafiadoras, mas o comportamento mudou. Estou me tornando cada vez mais habituada às pausas, com vários pequenos momentos de recarga de energia.

Uma das minhas maiores vitórias esse ano foi ter retomado um hobby antigo: dançar jazz. Por mais que eu tentasse, nunca conseguia por pura crença de que o problema era tempo. Na verdade eu não me permitia pausar. A mente dizia: você precisa “trabalhar muito duro se quiser fazer dar certo”.

E  pasme: essa simples decisão de abrir espaço para o hobby, além dos momentos de relaxamento mental e físico, tem me ajudado muito na criatividade para o meu negócio. Não raro tenho insights valiosos após as aulas. E também tem me permitido estar menos tensa nos momentos de dificuldade.

O começo de um negócio é realmente de uma dedicação extrema e é esperado que cause muito desequilíbrio. Mas hoje tenho comprovado que correr em velocidade constante é mais útil pro negócio do que os tiros de velocidade alternados com momentos de língua pra fora.

Portanto, mesmo que você ainda seja uma “eupresa”, e que sua lista de fazeres pareça interminável, use a cabeça, desafie suas crenças e se dê essa chance de pausar. Seus negócio agradece.

O Mundo Corporativo tem Data de Validade

Há algo de muito louco acontecendo no mundo corporativo. Pessoas bem sucedidas que saem dele ou foram saídas, ambas comentando sobre o “alívio” ao passar pela catraca pela última vez ao invés de sentirem desespero. Pelo menos no primeiro momento, é isso mesmo, alívio imediato.

Vejo tanta gente pedindo socorro até mesmo sem falar.

Mas apesar de ver tanta gente infeliz, exaustos das excessivas horas de trabalho, do stress e ansiedade, do trânsito, da politicagem, das pessoas negativas e fofoqueiras em volta, dos chefes perdidos que não sabem o que querem e muitas vezes desrespeitosos, de não serem reconhecidos e não gostarem do salário que recebem, de não terem perspectiva de crescimento e ainda por cima viverem assombrados pela lista de demissão do mês seguinte; e pra completar a tristeza, de não terem tempo para si e para as famílias e de não conseguirem nem fazer uma atividade física para pelo menos se manterem saudáveis pra encarar isso tudo; Ufa!  APESAR disso TUDO, eu encontro tanta resistência dessas pessoas de buscarem um novo caminho, por medo e crença, que chega a ser agoniante assistir.

Essa resistência tem vários nomes:

  1. medo de perder a “pseudo” segurança financeira (compreensível!! quem não tem?)
  2. crenças limitantes (aos montes!! “eu não nasci pra empreender”)
  3. medo das críticas (meus colegas vão me chamar de louco se eu for empreender nessa crise!)
  4. procrastinação (a vozinha que te fala “e se der errado” e você nunca dá o primeiro passo, portanto nunca vai saber)
  5. vergonha (“ai Meu Deus, eu que vou ter que ir atrás de clientes, promover meu trabalho! Eu vou incomodar, não gosto de vender, não gosto de pedir nada pra ninguém, ai Meu Deus”)
  6. falta de disciplina (“ai, isso vai dar trabalho, vou ter que me reinventar, ai ai ai, eu quero, mas não tô a fim de pagar o preço”)

Esse papo aqui tá mais direto e talvez mais doloroso do que eu costumo falar, mas pra você se dar conta que tem sair do que não gosta (a vida á uma só!), alguém tem que fazer esse papel não tão agradável.

Se você já me acompanha, sabe que eu vivi tudo isso e consegui fazer essa transição. E não sou diferente de ninguém, tive que passar por cima de tudo isso que listei aí em cima.

E portanto, sinto essa missão de compartilhar e mover mais pessoas pra fora dessa zona de sofrimento. Eu também vim desse lugar, cheia de crenças e medos que me limitavam. Se eu consegui porque você não consegue? É claro que consegue, mas precisa decidir, precisa querer muito. Se não desejar do fundo da sua alma, você vai se sabotar.

Se não entrar em ação pra realizar esse desejo, adeus sonhos!

Converso com tanta gente do meu antigo mundo e eles queriam tanta coisa e ficam só nesse “queriam”.

Queriam independência financeira com mais liberdade e flexibilidade de tempo, queriam assumir o controle da sua agenda! (empreender não significa que você vai trabalhar pouco, mas sim, você passa a ser dono do seu tempo)

Queriam trabalhar com algo que realmente amam, com mais propósito. Quanta gente tem me dito que não vê o seu trabalho gerando o bem pra sociedade e como isso é frustrante

Queriam viajar mais e poder trabalhar de forma equilibrada, mesmo quando viajam (a vida é um sopro e mesmo assim a gente não aproveita pra conhecer o máximo que podemos do mundo!)

Queriam poder se cuidar mais (caminhar, meditar, comer bem, se espiritualizar)

Queriam poder usar mais a sua criatividade, palestrar, escrever um livro, fazer um vídeo, criar um blog, fazer diferença por onde passam com a sua mensagem

Queriam ter uma vida mais feliz, com mais significado, ganhando dinheiro fazendo o que amam!

Acho que esse é o resumo do “queriam”. Quem não quer?? Mas o tempo do verbo é que tá errado. Chega de “queriam”. Você quer ou não quer? Decide e passa pro próximo passo. Sinto em dizer que você só vai conseguir essas coisas empreendendo. Elas não são compatíveis com uma vida de empregado.

Próximo passo: o que você está fazendo hoje que vai produzir um impacto gigante nesse futuro que você quer?

O que você está fazendo de concreto? Está se preparando e agindo, estudando como mudar sua vida e ao mesmo tempo colocando esse conhecimento em prática?

Caramba, o que você está fazendo? Está fazendo o suficiente?

Ou quando você começa o movimento alguém vem e diz: “empreender é perigoso, não é pra você, não é pra gente, não é pro Brasil” etccccs e mimimimissss!!!

Deixa eu falar uma coisa que talvez você não tenha percebido:

Toda vez que você tentar empreender na vida, seja lá do jeito que for, as pessoas do seu convívio podem até te dar força na teoria, mas quando eles virem que você realmente está se dedicando a isso elas começam a se incomodar muito e a te sabotar, às vezes inconscientemente.

Sabe porque? Porque elas veem que você tem uma chance concreta de conseguir sair da vida que não quer mais e escolher uma nova. E elas vão ficar pra trás por medo e por inação. E isso dói nelas, isso incomoda. Eu tive pessoas que eu gostava muito e que estavam fazendo isso à minha volta. Se prepara pois elas vão tentar de puxar muitas vezes não por maldade, mas pela insegurança de tentar o mesmo pra elas próprias. Esse é o comportamento humano padrão: de se comparar e não querer ficar pra trás.

Enquanto isso, você vai seguir em frente se estiver com a mentalidade certa. E ainda vai ajudar essas pessoas. É isso que você deve fazer.

Pensa o seguinte: se você não se preparar e não tentar, nunca vai saber. Sua vida vai ser um eterno “E SE”, a expressão favorita dos sabotadores internos.

Se já tem tanta gente de fora tentando te sabotar, você vai permitir se sabotar também?

Saia dessa. Simplesmente tenha consciência disso, assuma o controle e saia dessa conversinha interna. Ela não vai te levar a nada, a lugar nenhum.

Se o seu maior desejo é como o meu e da maioria das pessoas que já ajudei ele é muito igual a isso:

“Trabalhar com o que eu amo, ter um negócio próspero financeiramente, uma família feliz, e uma rotina saudável”

Esse era o meu desejo quando comecei e sinto que estou bem no caminho. Mas eu não saberia se tivesse ficado na conversinha do “E Se”.  É preciso apenas um pouco de paciência e persistência e curtir o PERCURSO TODO e não só a LINHA DE CHEGADA.

Cada dia de uma jornada com um propósito claro é prazeroso, então você não precisa esperar anos pra se sentir feliz, porque você vai estar sendo feliz a cada dia da jornada.

O seu conceito de sucesso vai mudar muito quando você parar de trabalhar pelo sonho dos outros e começar a trabalhar pelo seu. Todo dia vai ser um micro sucesso se você souber celebrar.

Uma outra cliente me falou:

“Ter sucesso pra mim é fazer o que a gente ama, é viver uma vida plena sabendo que tudo aquilo que vivo é o resultado de escolhas que faço. Sucesso é impactar a vida de muitas pessoas de forma positiva, agregando valor a elas.”

Eu concordo com ela, só que não dá pra ficar esperando ele vir do acaso, você tem que criar esse sucesso.

Se a gente estiver tendo esse papo daqui a 1, 2 anos, você vai desejar ter começado hoje. Por isso estou aqui, cumprindo essa missão que transformei em trabalho, mas NÃO, NÃO é fácil. Eu só posso ajudar quem decide que quer ser ajudado. Se você é uma dessas pessoas, começa com um primeiro passo, consome alguns desses conteúdos gratuitos que preparei pra você em um treinamento que abro duas vezes ao ano gratuito, a Semana Empreenda-se. Fica no AR por poucos dias AQUI! É só clicar.

O importante é você sair depois desses vídeos melhor do que entrou e acho que vai. Se permita! Se joga!

Acesso ao workshop aqui: http://programaempreendase.com.br/blog

Beijo grande e mão na massa

Caroline Caracas

APOSTE NA CONSTRUÇÃO DA SUA AUTORIDADE DIGITAL

Descubra como a estratégia da Autoridade Digital vai ser essencial não só na sua transição de carreira, mas vai te ajudar a aumentar os seus ganhos financeiros, atrair os clientes certos e que pagam bem, e ter muito, mas muito reconhecimento na sua área de atuação, te transformando em um profissional referência dentro do seu nicho, seja ele qual você escolher!

Conheça o curso online Alquimia da Autoridade, um treinamento 100% online onde apresento um método eficaz e sustentável, testado e comprovado por mim durante a minha própria trajetória de transição de carreira. Com esse método eu construí uma presença digital sólida e conquistei autoridade na minha área de atuação.

Você irá aprender a gerar e publicar conteúdo que constrói autoridade, a tornar-se um profissional requisitado, atraindo os clientes que pagam mais pelo seu trabalho e construindo uma marca pessoal única.

 

Conheça as 10 Competências Essenciais para se Tornar um Empreendedor de Sucesso

Você se considera um empreendedor nato?
Acha que nasceu para isso e possui todas as características e atributos essenciais para ter sucesso nessa jornada?
Ou não, até sonha em empreender mas acha que isso não é para você, que você não reúne as competências necessárias para gerir o próprio negócio?

A verdade é que, empreender, é o sonho de 3 em cada 4 brasileiros, de acordo com uma pesquisa de 2015 da Global Entrepreneurship Monitor (GEM). Ainda segundo o estudo, enquanto 31% dos brasileiros querem montar um negócio, apenas  16% querem crescer dentro de uma empresa.

Mas ser empreendedor requer mais do que somente capital para investir e uma boa ideia de negócio: o empreendedorismo é uma consciencialização. Antes mesmo de abrir o seu próprio negócio, para ser um empreendedor de sucesso, primeiro você tem que adquirir uma mentalidade e comportamento empreendedores. E diversas pesquisas têm sido feitas sobre o comportamento do empreendedor, levantando a questão:

Empreendedores nascem empreendedores ou são criados pela necessidade e forjados nas chamas das batalhas do mercado de trabalho?

Essas pesquisas já mostraram que alguns traços de comportamento se manifestam e se combinam de diferentes maneiras, em diferentes empreendedores de sucesso. São denominadores comuns que podemos observar ao analisar o perfil e a trajetória de vários homens e mulheres que alcançaram o panteão empreendedor e se destacaram de alguma forma nas suas áreas de atuação.

Os estudos e pesquisas não podem afirmar se empreender é um dom natural, que nasce com alguns de nós, mas, o que é certo e sabido, é que apesar de existirem algumas competências e habilidades comuns a todos os grandes empreendedores, não existe uma fórmula mágica a ser seguida. Cada história de vida e trajetória, cada pessoa, é única e singular, e é perfeitamente possível se tornar empreendedor a partir do seu desenvolvimento pessoal e profissional, adquirindo as chamadas “características de comportamento empreendedor”.

O psicólogo americano David C. McClelland foi o autor que deu início a estudos específicos sobre as ciências do comportamento empreendedor. Tendo como base os estudos de McClelland, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) instituiu um programa para o aprimoramento de empreendedores, o Empretec, que trabalha com 10 características ou competências do comportamento empreendedor.

Veja quais são elas:

1 – Busca de oportunidades e iniciativa: Todo empreendedor que se preze precisa ter  o chamado “senso de oportunidade”, saber antecipar-se aos fatos e identificar e criar novas oportunidades de negócios, fazer coisas antes de forçado pelas circunstâncias e agir para expandir os negócios.

2 – Correr riscos calculados: Se lançar em uma jornada empreendedora é quase como se lançar no desconhecido, por isso, você precisa ter coragem e propensão para arriscar e colocar-se em situações que implicam desafios, mas sabendo calcular coerentemente os níveis de risco envolvidos, avaliar alternativas e possibilidades e agir para controlar o resultado final e reduzir as perdas.

3 – Exigência de qualidade e eficiência: Quando se é empreendedor e se trabalha pelo próprio sonho, e não mais pelo sonho de outra pessoa, é preciso, mais do que nunca, encontrar maneiras de fazer as coisas melhor, mais rápido e mais barato e desenvolver ou utilizar procedimentos para assegurar que o trabalho seja terminado a tempo e que atenda ou ultrapasse os padrões de qualidade e excelência previamente definidos.

4 – Persistência: Resiliência e persistência precisam ser uma constante no comportamento de quem se propõe a ser empreendedor. Desafios e obstáculos vão aparecer, e não serão poucos, acredite! Mas você precisa aprender a agir diante desses obstáculos e persistir, não desistir no primeiro tropeço e, muitas vezes, fazer um sacrifício pessoal e dispender um esforço extraordinário para completar um tarefa.

5 – Persuasão e rede contatos: Empreendedores que estão acima dos outros têm a persuasão, ou a capacidade de convencer os outros a mudar a sua maneira de pensar, crer, ou se comportar, inerente à sua personalidade, sabendo usar estratégias para influenciar pessoas. Além disso, é preciso falar que empreendedorismo não se trata apenas de competências ou de qualidades. Em muitas circunstâncias é também sobre fazer ligações pessoais, networking, utilizar pessoas chaves para propagar sua mensagem e atingir o seu objetivo final.

6 – Independência e auto confiança: Empreender é mudar o mundo, por isso, você precisa ter segurança em relação ao seu propósito, confiar na sua capacidade de completar uma tarefa difícil ou de enfrentar um desafio, mantendo sua postura e seu ponto de vista diante das oposições, e, principalmente, ter confiança na sua própria capacidade realizadora.

7 – Comprometimento: Para muitos, empreender é um sonho, é um meio para alcançar uma vida tão desejada, com liberdade de tempo e fazendo o que se gosta, porém, a jornada não é, todo o tempo, um mar de rosas. Muitas vezes você vai precisar fazer sacrifícios pessoais, atribuindo a si mesmo e a seu comportamento as causas de seus sucessos e fracassos, assumindo a responsabilidade pessoal pelos resultados obtidos.

8 – Busca de informações: A máxima “conhecimento é poder” também se aplica ao universo empreendedor. Para tornar-se uma referência e uma autoridade na sua área, você precisa, primeiro, conhecê-la a fundo. Dedique-se a obter informações que podem ajudar o seu negócio e fazê-lo crescer, identifique e siga perfis de pessoas que atuam no mesmo nicho que você e que já alcançaram o sucesso, busque inspiração e conhecimento. A internet é a ferramenta ideal para isso!

9 – Estabelecimento de metas: Para sair de onde você está, primeiro você precisa saber ONDE e QUANDO quer chegar. É essencial estabelecer metas e objetivos claros, ter visão de longo prazo, clara e específica, e estabelecer objetivos mensuráveis e de curto prazo. Você precisa ter um forte senso de quais são os seus objetivos e quais são os impactos disso nos seus serviços e, principalmente, em seus negócios. Sobre esse tema você também pode assistir a esse vídeo que ensina passo a passo a metodologia SMART para escrever as suas metas. Ela é muito conhecida e muito eficaz. Se não for SMART, é auto enganação. 

10 – Monitoramento e planejamentos sistemáticos: Por fim, não adianta fazer tudo isso se, no final, você não monitorar os seus resultados atingidos. A partir do monitoramento sistemático você vai poder identificar o que não está dando certo para o seu negócio, e corrigir rapidamente, e o que está te trazendo bons resultados e vale a pena manter, criando, assim, uma estratégia personalizada e certeira, planejando os seus próximos passos. Não existe empreendedorismo sem planejamento, e é isso que vai ajudar a sua empresa a sobreviver aos momentos de crise.

Agora, você já deve ter percebido que, o possuidor de todas essas características citadas, com certeza, seria alguém muito especial, difícil de existir. O “empreendedor perfeito”. Mas isso, na realidade, não existe. Não existe um perfil totalmente ideal de empreendedor, e estas características não são um limitante para a atuação empreendedora, caso você não possua ou tenha deficiência em alguma delas. O sucesso é resultado da sintonia entre o cumprimento de ideias que resolvam problemas de pessoas juntamente com as habilidades pessoais. E o importante é saber que, essas tais habilidades e características empreendedoras, podem perfeitamente ser aprendidas e desenvolvidas por todos ao longo da vida.

Além dessas competências essenciais que, quando aprendidas e desenvolvidas vão aumentar as suas chances de sucesso, os empreendedores atuais tem um grande aliado na sua jornada: o marketing digital. Hoje, o marketing digital é a grande alavanca e trampolim para a sua empresa ou negócio, seja ele um negócio online ou offline, e pode ser o diferencial entre o seu sucesso e o seu fracasso. No meu eBook, “Mudar, Reinventar e Empreender”, que você pode baixar gratuitamente clicando AQUI ou na imagem abaixo, eu te mostro, com base na minha própria jornada empreendedora, como utilizar as estratégias e infinitas possibilidades do marketing digital para levar o seu negócio para o próximo nível! Mais de 5.000 pessoas já fizeram o download, e se você ainda não é uma delas, faça agora.

Atenção: Na última página do eBook, você pode se inscrever na lista de espera do Empreenda-se, meu programa online de coaching e mentoria, lançado em 2015, mas que terá seu relançamento agora, já no começo de 2016. Então, se você quer ser um dos primeiros a ser avisado dessa nova oportunidade de concretizar o seu sonho de empreender, trabalhar com paixão e ser dono do seu tempo, baixe o eBook e se inscreva na nossa lista!

EXTRA: CONSTRUA A SUA AUTORIDADE DIGITAL!

Além de todas essas competências, existe um elemento que pode ser essencial e decisivo no sucesso da sua jornada empreendedora: a Autoridade Digital.

Descubra como a estratégia da Autoridade Digital vai te ajudar a aumentar os seus ganhos financeiros, atrair os clientes certos e que pagam bem, e ter muito, mas muito reconhecimento na sua área de atuação, te transformando em um profissional referência dentro do seu nicho.

Conheça o curso online Alquimia da Autoridade, um treinamento 100% online onde apresento um método eficaz e sustentável, testado e comprovado por mim durante a minha própria trajetória de transição de carreira. Com esse método eu construí uma presença digital sólida e conquistei autoridade na minha área de atuação.

Você irá aprender a gerar e publicar conteúdo que constrói autoridade, a tornar-se um profissional requisitado, atraindo os clientes que pagam mais pelo seu trabalho e construindo uma marca pessoal única.

Empreender: o Encontro do Talento com as Necessidades do Mundo

Não sei se você se já ouviu essa história, mas em todo caso vou relembrá-la. É mais ou menos assim:

Era uma vez um viajante e no meio da estrada ele avistou uma pedreira. Se aproximou e perguntou ao primeiro trabalhador:

O que você faz aqui? 

Eu quebro pedras, respondeu o homem.

O viajante caminhou um pouco mais, se aproximou de outro trabalhador e repetiu a pergunta: O que você está fazendo aqui?

Ele respondeu: estou ganhando a vida.

Por fim, o viajante resolveu perguntar a um terceiro homem.

Oi, pode me dizer o que está fazendo aqui no meio dessa estrada, quebrando pedras?

O homem respondeu: Senhor, eu não estou quebrando pedras, estou ajudando a construir uma Catedral.

A vida é assim. Todo dia temos que sair pra trabalhar e isso pode ser um fardo ou uma alegria. Já tá mais do que na hora de encontrarmos um propósito pro nosso trabalho, saber de que “Obra” fazemos parte.

Fazer do mundo um lugar melhor, dar a nossa contribuição, ajudar as pessoas a melhorarem de alguma forma sua vida e ter reconhecimento pessoal e financeiro por isso. Essa deveria ser a nossa missão maior em tudo que fazemos.

Por isso vemos tantos empreendedores não desistirem dos seus sonhos, tentando resolver problemas do mundo, enxergando por trás desses problemas a a sua Catedral.

Enquanto isso milhões se arrastam todo dia pros seus trabalhos sem saber de que Obra fazem parte.

Mas isso pode mudar. Seja um empreendedor em tudo que você faz, enxergue Catedrais e Castelos em vez de Pedreiras.

Em 2017 eu desejo que você encontre o seu propósito de vida, que dele surja um trabalho ou negócio com mais significado e que você se realize muito fazendo isso. Porque pessoas realizadas fazem do mundo um lugar melhor.

A partir dessa conquista muitas outras coisas se resolverão, pois, o trabalho é algo que consome muitas e muitas horas da nossa vida. Procure se encontrar e saber pra que direção está indo com seus conhecimentos e habilidades e tudo vai ficar diferente.

Pra fechar fique com a frase milenar de Aristóteles:

“Quando os seus Talentos encontram as Necessidades do Mundo, ali está a sua vocação” 

Feliz 2017. Feliz Ano Novo.

O MAIOR Medo dos Empregados que querem Empreender


O assunto é Perda de Segurança financeira! Vamos falar sobre isso?


Em uma pesquisa recente que fiz com o público empregado que deseja empreender, entre eles alguns dos meus clientes do programa Empreenda-se, fica muito claro que o maior medo de fazer esse movimento está na questão da perda da segurança financeira, ou seja, o medo de perder o salário fixo, não conseguir pagar as contas e ainda fracassar no negócio.

O medo de fracassar em um negócio é uma outra questão a se lidar, mas sobre o medo de perder a segurança financeira, a primeira coisa que temos que pensar e nos questionar é sobre essa ideia de que temos uma segurança financeira. Será???

Ou seria uma pseudo segurança financeira que um emprego nos dá? Basta olhar à sua volta, especialmente no ano que passou com tanto desemprego acontecendo, que você vai constatar rapidinho que isso não é uma verdade. O que existe é uma crença construída na nossa cabeça e da maioria que vive assalariada de que existe uma segurança financeira quando se tem um emprego.

Eu não estou dizendo que não exista uma segurança a mais de curto prazo, ou pelo menos um sentimento de que ela existe, mas vamos ser francos, na prática ela só dura 30 dias e no mês seguinte tudo pode mudar.

Infelizmente, se esse é o seu caso, ou a sua crença, seria importante e urgente se confrontar com essa antiga ideia pois o mundo já não é mais o mesmo.

Aliás, pela lei, nunca foi uma verdade que se tem segurança financeira no mundo corporativo, afinal você pode ser trocado ou demitido a qualquer momento. Mas é claro que no passado a probabilidade de você ficar numa empresa até se aposentar era muito maior. Nós vimos isso acontecer muitas vezes em nossas famílias e daí vem a ideia/crença de que teremos segurança financeira se estivermos empregados.

Então, pra você que tá sofrendo com esse medo, eu só queria fazer esse primeiro alerta: você está sofrendo por uma crença de que tem a tal da segurança financeira, mas ela não existe na realidade.

Por outro lado, é super esperado que esse seja o medo número 1, afinal, só de pensar na possibilidade de perda do conhecido e seguro, já sentimos pavor. É compreensível, mas não deveria mais ser algo aceitável passivamente por quem está em busca de mudanças. Se desejamos uma nova realidade, ela necessariamente passa por começarmos a mudar os nossos pensamentos.

   A vida acontece na zona de conforto, mas a mudança de vida que desejamos acontece bem fora dela, isso é um fato.

A proposta aqui é abrir os olhos e a mente: se você não quiser se enganar ou se sentir enganado caso algo aconteça e você perca a sua “pseudo” segurança, comece a ressignificar agora essa ideia na sua cabeça. Quanto mais diluir esse medo, entendendo que ele é apenas uma crença, mais preparado estará para lidar com a situação caso ela se apresente.

E ainda digo mais: só de perder essa falsa sensação de segurança, você já vai ganhar bons motivos para entrar em ação e construir o seu plano B o quanto antes. Quando menos esperar, ele poderá se tornar o seu Plano A. E sim, você pode se organizar para construir isso em paralelo, quanto mais hoje em dia com o poder da internet e com tantas facilidades para aumentar a sua produtividade e gestão de tempo.

Se o mundo já não é mais o mesmo e a gente evolui junto com ele, certamente criar oportunidades nesse novo mundo vai depender da nossa perspectiva das coisas.

Basta olhar os grandes cases de sucesso em negócios no mundo atual e perceber que a oportunidade está aí para todos e não depende mais tanto do poder financeiro.

A sucesso dos negócios está menos na carteira e mais na inteligência, pois os recursos e informações são mais acessíveis do que nunca. O sucesso está na capacidade de resolver problemas de pessoas de forma eficiente e no alcance dessa solução. É preciso localizar esses problemas e que pessoas queremos servir, aí ficará mais fácil gerar soluções dentro daquilo que somos bons em fazer, as nossas habilidades que nos destacam.

Veja o caso do Whats App, do Uber, do Airbnb, todos esse estão entre os negócios mais valorizados do mundo em pouquíssimo tempo e que combinaram esses fatores: fizeram a vida de alguém melhor com enorme alcance e por isso vingaram em escala global. O Airbnb não precisou construir casas e apartamentos, o Uber não precisou fabricar carros, e o Whats app não precisou construir uma infraestrutura gigante mundo a fora. Tudo foi uma combinação do que já existia para resolver problemas de uma outra forma e com enorme alcance, com poder de se espalhar usando a internet.

O alcance, o impacto e o engajamento das pessoas com uma nova ideia de negócio que esteja efetivamente resolvendo problemas, tem o poder de atrair o capital. O capital, seja de investidor, ou seja do próprio público consumidor, está mais disponível em todos os cantos do planeta com abrangência e escala. Mas pra isso você precisa ter a audiência e atenção das pessoas que você quer servir. A audiência na internet passou a ser a nova moeda de valor que faz o capital surgir.

Se você tem audiência, você tem um negócio. Se você tem uma proposta de valor e tem pessoas acompanhando o seu trabalho, dessa audiência virão seus primeiros clientes e consequentemente os melhores investidores do seu negócio.

Pessoas que confiam em você e querem consumir o que você produz e que vão financiar comprando antecipadamente um produto de você, algo que muitas vezes nem existe. O foco deve ser em conquistar os clientes antes mesmo de ter o produto. E por isso é tão importante pensar e agir rápido para ter uma presença na internet, para construir uma autoridade e credibilidade em algum nicho, em algum tópico que você escolher dentro da sua área de atuação.

Isso sim pode amenizar o seu medo de perder a sua segurança financeira. Quando ela falhar, o que independe da sua vontade, ou quando você decidir que é a hora de deixá-la pra trás, você já terá uma zona de engajamento real à sua volta, com pessoas que te conhecem, apreciam e confiam no seu trabalho. Essa sim é uma forma sob o seu controle de construir um novo tipo de segurança financeira, aquela em que você gera valor para uma audiência e ela te devolve esse valor comprando algo de você, seja seu produto ou serviço.

Essa é uma nova economia em que todos podem empreender construindo um negócio em torno da audiência que constroem para si, e da marca pessoal que constroem com a ajuda da internet. E você vai participar ou deixar o medo te dominar?

Dependendo do momento em que você está lendo esse texto, o Workshop Gratuito da Semana Empreenda-se estará acontecendo com vídeos, webinários e PDFs para download. Clique AQUI para assistir:  www.programaempreendase.com.br/blog

15 Perguntas que você deve se fazer antes de fazer a transição de empregado a empreendedor

Você quer empreender só porque odeia o seu emprego? Isso não é suficiente.

Infelizmente essa não é uma situação incomum. E consequentemente o que se vê é um enxurrada de novas empresas fechando nos primeiros meses de vida e empreendedores iniciantes pagando um preço alto na sua vida pessoal e profissional por este movimento errado.

Antes de partir para o empreendedorismo, tenha consigo mesmo uma conversa bem sincera sob pena de dar uma direção equivocada à sua carreira.

Você pode buscar um aconselhamento profissional de transição de carreira e isso é muito válido. Mas se não puder fazer isso no momento por questões financeiras, saiba que hoje temos inúmeros coaches e mentores fazendo um excelente trabalho nessa área de carreira e empreendedorismo, através de conteúdo gratuito pela internet (se quiser dar uma espiada no meu ebook, blog e redes sociais, eu tenho muito conteúdo gratuito sobre isso no meu site www.carolinecaracas.com.br ou da minha empresa www.marketingminds.com.br).

Mas antes que você faça esse trabalho sozinho buscando informação por aí, vamos já colocar a mão na massa aqui fazendo alguns exercícios.

Mesmo que você ainda esteja naquela fase da resistência, que ainda não se convenceu que precisa de uma ajuda profissional externa (conheço muitos empregados assim!), que tal começar buscando essa ajuda primeiro dentro de você.

O autoconhecimento é necessariamente o primeiro passo de quem busca esse tipo de transição de empregado a empreendedor, mesmo que você não reconheça isso ainda. Todo negócio vai ser a cara do dono e os resultados serão proporcionais às suas ações feitas com consistência. Imagina então se você não tem clareza dos seus pontos fortes e pontos de melhoria, habilidades, talentos e competências? O destino de quem tem falta de clareza é um só: a inação.

Ou talvez você seja aquele tipo de pessoa que associa auto conhecimento com auto ajuda, e tem sérios dogmas, crenças negativas e preconceitos a respeito disso.

Esqueça isso por alguns instantes e siga nesse artigo. Faça um exercício mental e troque a expressão auto ajuda por diálogo interno. Vamos aqui exercitar simples perguntas que vão te ajudar a se encontrar caso você se sinta meio perdido em relação à sua carreira.

A primeira delas é:

1)  Você odeia seu emprego ou odeia apenas algumas coisas nele?

Isso precisa ser colocado no papel já. A consciência gera clareza.

Pegue uma folha em branco e passe um risco no meio dela.

De um lado escreva: coisas que eu gosto no meu emprego e do outro lado o oposto, aquelas coisas que você não gosta ou até odeia.

Você precisa ser o maior expert do mundo sobre os seus questionamentos antes de decidir empreender.

Vamos imaginar que você responda algo parecido com isso:

O que eu odeio no meu emprego:

–      o meu chefe

–      a minha função

–      ter que trabalhar horas extras

–      o trânsito pra chegar até o trabalho

O que eu gosto:

–      dos colegas

–      do ambiente

–      dos benefícios

–      do salário

–      do segmento de atuação da empresa

Se o seu problema tem mais a ver com o seu chefe, com o trânsito, com a sua função, ou seja, fatores mais externos do que internos, você vai encontrar muita dificuldade e ter pouca resiliência ao empreender.

Com esse quadro, possivelmente você não estaria qualificado para o empreendedorismo (ainda!!), o que não significa que não possa ser o seu caminho. Só quer dizer por enquanto que isso não é suficiente e que você não está com a motivação correta para encarar uma nova vida empreendedora, mas que pode se desenvolver e mudar completamente sua mentalidade.

Existem grandes chances de que nessa situação você possa resolver seu problema dentro da própria empresa acessando as pessoas certas ou até preparar um bom currículo e ir a luta no mercado.

Agora vamos imaginar que você tenha respostas mais parecidas com essas abaixo  (mas lembre-se: tenha a conversa mais sincera do mundo consigo mesmo! Não se sabote)

O que eu gosto:

–      da maior parte das pessoas

–      da apresentação de resultados da minha área no fim do mês

–      de um desafio novo

–      de ganhar bônus por mérito

–      de liderar pessoas

–      de bater metas

O que eu não gosto:

–      da falta de liberdade

–      da rotina

–      de chefes que abusam do poder

–      da cultura sem autonomia

–      de não ser reconhecido

–      da burocracia

–      de ter sua criatividade tolhida

–      de não poder exercer o seu potencial

–      de não ser ouvido

Essa situação já mostra uma mentalidade e um conjunto de sentimentos bem mais favoráveis para você se descobrir como empreendedor.

Em geral, o que move um aspirante a empreendedor tem muito mais a ver com inquietações internas e fatores intrínsecos. Uma vozinha te chama a realizar algo maior no mundo, alinhado a um propósito e estilo de vida desejado. E mais do que isso: um desejo de liberdade e flexibilidade de tempo toma conta de você.

O empreendedor é alguém mais movido a propósito, a metas, vontade de inovar, experimentar e liderar para viver nos seus próprios termos e com isso fazer a diferença por onde passa.

Não é incomum também observarmos dentro das empresas, seja em líderes ou liderados, os intra-empreendedores, aqueles que desempenham seus papéis com o sentimento de donos, altamente comprometidos em gerar resultados e em busca de reconhecimento pessoal tanto quanto o dinheiro.

Já vi muitos excelentes funcionários intra-empreendedores perderem o engajamento, a motivação, justamente quando as regras das recompensas não são claras e o reconhecimento não chega, seja em forma de compensação financeira ou desafios para crescer.

Essas pessoas já empreendem no seu dia a dia mesmo sendo empregados. Elas apenas não despertaram pra isso ainda. Em geral, por crenças transparentes e limitantes elas não acreditam que sejam capazes de gerar receita para elas próprias, em carreira solo, da mesma forma que geram resultados para as empresas. Dessa forma adiam a decisão de empreender no seu próprio negócio mas o tempo é implacável: o incômodo se instala e a vontade de empreender em seus próprios projetos vai crescendo.

Então falamos da primeira pergunta e ela foi densa: porque você odeia o seu emprego e porque você deseja empreender?

Agora que você já tem um primeiro diagnostico na mão, não se aflija, apenas reflita mais!!! Se ele não estiver favorável para o empreendedorismo, por enquanto não quer dizer que você não possa se desenvolver para empreender. Ele apenas te deixou mais consciente das suas reais motivações e de que tem um trabalho a ser feito, especialmente de mentalidade, do nosso jogo mental e emocional interno, que será nosso grande inimigo na vida empreendedora quando a coisa apertar.

Agora mais algumas perguntas.

Você deve responder a todas elas. Isso vai te ajudar muito a tomar decisões mais conscientes sobre o seu próximo passo na carreira.

2.    Você se sente deprimido aos domingos?

3. Você desliga o despertador muitas vezes todos os dias e sente como se arrastasse para o trabalho?

4. Você não tira o olho do relógio esperando que o dia acabe?

5. Você passa o dia distraído nas redes sociais e em seus sites preferidos?

6. Você não tem vontade de dar opinião nas reuniões? Prefere obedecer diretrizes sem ter muito trabalho de argumentação sobre os assuntos da sua função?

7. Você se sente acomodado em relação à sua posição atual?

8. Você está conseguindo usar seu potencial no trabalho?

9. Você está aprendendo?

10. Você está se divertindo enquanto trabalha?

11. Você se sente crescendo na profissão?

12. Você está pleiteando e aceitando desafios?

13. Onde você quer estar em 1 ano, 5, 10, 20 anos? Como você imagina seu futuro?

14. Que historia você quer contar pros seu netos sobre a sua vida e carreira, sobre a sua contribuição no mundo?

15. Você sente que gostaria de viver um trabalho e uma vida nova mas tem muito medo?

Quando surgir o incômodo, esse raio X dos seus pensamentos e sentimentos é a coisa mais importante em relação a sua carreira.

Ou seja, você precisa dar mesmo uma parada e se reconectar. Se auto conhecer. Entender onde você se perdeu da sua essência.

Em resumo você precisa descobrir sobre si mesmo: Quem é você? Onde você está hoje? Pra onde você está indo? E se esse é o lugar pra onde gostaria de ir? Ou as suas ambições são totalmente diferentes do estilo de vida que está construindo?

O empreendedorismo é uma escolha consciente de um estilo de vida novo com muito trabalho pela frente, onde praticamente não haverá separação entre vida pessoal e profissional. Você vai precisar gostar do seu trabalho pois ele se confundirá com a sua própria vida de forma muito natural. É preciso encontrar a interseção entre o prazer e a recompensa financeira.

O auto conhecimento tem tudo a ver com ganhar dinheiro, eu escrevi sobre isso em outro artigo que você também deve ler.

A técnica de se fazer perguntas poderosas é o seu antídoto para evitar uma morte súbita como empreendedor. As perguntas e as respostas conscientes podem te levar a se desenvolver como empreendedor, a encontrar as motivações corretas e a se preparar para a realidade que o espera.

Essas perguntas um dia me fizeram parar, refletir e criar novos pensamentos, novas convicções que geraram coragem para trabalhar pelos meus sonhos e não mais trabalhar pelos sonhos dos outros. Elas me levaram a criar uma nova realidade, com mais prosperidade para mim e minha família, trabalhar com mais propósito e me sentir realizada de novo profissionalmente.

Eu só posso afirmar que todos podem se empreender, fugir das grades do seu condicionamento mental, de uma vida inteira, onde a maioria de nós foi preparado para uma mentalidade de empregado. Não temos culpa disso, simplesmente fomos treinados dessa forma, mas a boa notícia é que isso é reversível, desde que a pessoa queira se desenvolver como empreendedor.

Só tem uma condição: você quer realmente pagar o preço para reverter essa condição de empregado e se transformar com convicção em um empreendedor dos seus projetos de vida?

Enquanto muitos à sua volta vão te ver como um desempregado tentando empreender, você vai estar mais preparado para uma nova perspectiva, a de se enxergar como um empreendedor de verdade, até que isso se torne um sentimento arraigado dentro de você.

Existe uma expressão famosa em inglês que diz: “Fake until you make it” e ela funciona. Aja como se já fosse e será! Você está prestes a criar uma nova realidade e ela precisa acontecer primeiro na sua mente, mesmo que todo mundo à sua volta não consiga ter essa visão. Prepare-se: isso pode acontecer.

A única condição e o primeiro passo para empreender é decidir se você quer. O resto é preparação e persistência.

E antes da gente se despedir lembre-se:

A auto realização é uma consequência de saber qual é a sua direção na vida, aquela que te satisfaz, seja empreendendo ou não. A vida é sua.