COMO FAZER MATRIZ DE PERSONAL BRANDING O QUE É

Matriz de Personal Branding – conheça!

Quando o assunto é personal branding, o primeiro ponto é entender que apenas a construção de marca não será o suficiente para o sucesso do seu negócio. É necessário ter em mente que você realmente precisa atender às necessidades de seus clientes. E, aqui você vai conhecer a matriz de Personal Branding!

Por outro lado, de nada adianta ter um baita conhecimento técnico e ser muito competente, se você não sabe se vender. E mais importante: saber atrair as pessoas corretas no seu processo de venda, que são aquelas que lhe interessam do ponto de vista pessoal e dos negócios.

Logo, é muito importante que você quebre todos os seus tabus e crenças negativas em relação ao personal branding.

Afinal de contas, com a adoção do marketing pessoal, você vai atrair as pessoas corretas e elas vão querer contratar os seus serviços.

E é importante saber que a construção de marca não significa a maquiagem de pessoas ou fatos. A matriz de personal branding é feita exatamente com base naquilo que você é e no que sua audiência precisa.

Logo, saber se vender é fundamental no mundo dos negócios e se você não aprender, ninguém irá fazer isso por você.

E segue um exemplo:

O meu exemplo de como utilizar o personal branding

Fiz este post perguntando às pessoas o que lhes vêm à mente quando ouvem meu nome.

E para minha surpresa, foram 164 comentários. E eu não esperava um número tão grande de pessoas que se dispusesse a responder essa pergunta.

E graças a esse retorno, foi possível tomar algumas ações, já que ficou mais fácil de se perceber a imagem que as pessoas têm em relação a mim. E é justamente para isso que esse tipo de ação serve.

Para isso, li os comentários, um por um, e verifiquei os atributos que as pessoas atribuíram a mim, já que posicionamento diz respeito à imagem que se ocupa na mente do cliente.

Como aproveitar essa captação de respostas

Para tomar ações com base nos retornos que recebi das pessoas, foi necessário que eu fizesse uma divisão em grupos sobre o que foi comentado. Confira:

  • Grupo 1: palavras mais repetidas. Aqui coloquei os termos que apareceram entre 2 e 3 vezes;
  • Grupo 2: caraterísticas pessoais. Aquelas características em relação a minha personalidade que foram citadas pelas pessoas;
  • Grupo 3: profissional. Características de cunho profissional que apareceram algumas vezes;
  • Grupo 4: valores. Esses são os valores que preservo em minha vida e que procuro transmitir nos conteúdos que produzo e que apareceram nos comentários;
  • Grupo 5: expressões. São as expressões relacionadas à minha forma de trabalhar e às mensagens que levo para meus clientes.

No meu caso, por exemplo, muitas das expressões foram ao encontro de uma mentalidade direcionada para o empoderamento feminino.

E isso é verdade. 90% dos meus clientes são mulheres e são muito motivadas a mesclar o trabalho com um estilo de vida que torne o mundo um lugar melhor. Além disso, percebem no exercício profissional uma forma de realização pessoal.

E essas características também estão presentes nos homens que acabam se tornando meus clientes. De forma geral, eles cultivam esses valores, mesmo estando mais presentes entre o público feminino.

Então, veja como aplicar:

Matriz de personal branding

A matriz de personal branding serve justamente para reforçar uma imagem que queremos que o público tenha a nosso respeito.

E isso vai impactar diretamente nas pessoas que você irá atrair. E ao se posicionar da forma correta, você irá trazer potenciais clientes com quem você realmente queira se relacionar.

E para ficar mais fácil, eu trouxe a minha própria matriz, com base no retorno do público e no que desejo reforçar. Mas antes, veja só como interpretar a matriz.

Como interpretar essa matriz

É uma matriz bem simples, na verdade. Ela é dividida em 4 quadrantes. E cada um representa a forma como nos comunicamos com as pessoas.

Os quadrantes são a brand persona, o tom de voz, a linguagem e o propósito.

A brand persona é a forma como decidimos interagir com o mundo. É como nos relacionamos com os outros: o nosso papel social e a nossa forma de expressão.

E o termo “brand persona” não é algo aleatório.

Persona é um termo vindo do latim e que equivale a personagem. E “brand” significa marca.

Por isso, a brand persona nada mais é que os papéis sociais que você adquire quando se relaciona com outras pessoas.

Isso impacta em diversas situações: nas roupas que usamos, na forma que falamos e em todas as maneiras de expressão pessoal.

O tom de voz está ligado com a intensidade da mensagem que estou passando, enquanto que a linguagem diz respeito a forma como me comunico. Por exemplo, se estou falando com empresários ou com público infantil, haverá uma maneira bem diferente de se dizer o que pensa.

E o propósito está relacionado com a mensagem que desejo passar e a forma como os objetivos de meu projeto impactam na vida de meus clientes e como isso deve ser transmitido.

Terminados estes pontos, segue a minha matriz:

Brand Persona

  • Enérgica;
  • Entusiasmada;
  • Descontraída;
  • Amigável;
  • Sociável;
  • Ágil.

Tom de voz

  • Informal;
  • Acelerado;
  • Assertivo;
  • Honesto.

Linguagem

  • Simples;
  • Sem jargões;
  • Objetiva;
  • Pragmática;
  • Acessível.

Propósito

  • Ensinar;
  • Inspirar;
  • Surpreender;
  • Compartilhar;
  • Abrir a visão.

A importância dessa matriz de personal branding e como analisá-la:

É fundamental a criação dessa matriz porque, dessa forma, eu sempre reforçarei os pontos que são fundamentais na comunicação com os clientes.

E documentando a estratégia é possível ter a disciplina para reforçar aquela imagem pela qual quero ser reconhecida no mercado.

Mas é importante levar em consideração que não adianta apenas criar uma matriz de brand persona apenas com base no que você imagina.

É necessário verificar a forma como as pessoas realmente lhe percebem e procurar meios para adequar a sua comunicação.

Dessa forma, você conseguirá direcionar a sua audiência para a visão que você deseja que ela tenha de você.

Afinal de contas, não é legal quando pensamos que nossos seguidores têm uma visão de nós, mas na prática eles têm a oposta.

Logo, quando isso acontece, é necessário fazer uma comparação entre o que pensam de fato sobre nós e que queremos que pensem.

Mas quando perguntamos e ouvimos as repostas, algumas surpresas positivas surgem, de coisas que até sabíamos, mas que não havia clara consciência.

Logo, sem saber exatamente como a audiência lhe enxergava, não há como ajustar a comunicação.

Mas, depois que ficar sabendo, vai poder arrasar nos conteúdos que vão lhe ajudar a se posicionar da forma correta na mente do cliente.

Como utilizar esse conhecimento

A partir dessas características que foram listadas, desenha-se a estratégia e matriz de personal branding que vai ser utilizada em seu site, seus artigos, conteúdos em toda sua presença digital.

Logo, o importante são as estratégias e ações que nascem do levantamento de seu personal branding.

E gostou do conteúdo?

Se gostou, não deixe compartilhá-lo nas redes sociais e de espalhar essa ferramenta maravilhosa que é a brand persona.

É uma ferramenta que pode ajudar muitos de seus amigos, então não deixe de compartilhar essa preciosa informação com eles.

Além disso, assine nossa lista de e-mails. Dessa forma, você conseguirá receber mais conteúdos quentes que sempre estou produzindo para você.

Você pode conferir o conteúdo onde explico sobre a importância do personal branding para a vida de um profissional.

E este conteúdo também está disponível em vídeo, logo abaixo. Clique para assisti-lo. E até mais!

Mesa de escritório com flor e celular para redes sociais

Como promover seu conteúdo nas redes sem incomodar

Criei este conteúdo porque percebi que uma dúvida estava tirando o sono de muita gente: como se promover nas redes sociais sem incomodar?

Percebi que muita gente tem um grande desejo de alavancar a própria audiência. São pessoas que querem colocar a cara nas redes sociais, mas têm medo. E um medo bem específico: de incomodar a audiência.

Acham que poderiam afugentar seus seguidores caso exagerassem em seu marketing pessoal.

Então a pergunta gira em torno da seguinte dúvida: como promover o próprio negócio, sem parecer aquela pessoa que sempre fica se autopromovendo? E saiba que há inúmeras vantagens em fazer esse tipo de promoção e que há meios de fazer isso sem causar incômodos – se é que isso seria possível. Confira:

As vantagens em se autopromover nas redes

Primeiramente, devemos considerar que muita gente tem crescido profissionalmente com base nos resultados que teve nas redes sociais. E isso ocorre justamente porque foram pessoas que tiveram a cara e a coragem de se apresentar.

Logo, existem sim caminhos para se promover sem incomodar o público. E o primeiro deles é eliminar essa crença. Sim, isso é necessário, pois o entendimento de que você estará incomodando alguém é uma crença que está na sua cabeça. E apenas nela.

E é importante que você se mostre porque essa atitude causa aproximação. Demonstra, para começar, que você não é uma empresa fantasma.

E essa constante interação gera credibilidade e confiabilidade.

Por que algumas pessoas sentem essa dificuldade?

Essa dificuldade em se promover é muito comum, saiba disso.

Há diversos motivos que podem induzir a resistência em se mostrar, como a educação, convívio familiar e a própria personalidade. São fatores que podem influenciar na percepção negativa do indivíduo em relação a se promover.

Mas isso é totalmente possível de se trabalhar. E isso inclui as pessoas mais tímidas.

Mas, veja bem, para não incomodar a audiência, não vamos fazer propaganda pura e simplesmente. Mas vamos entregar conteúdo.

Entregue conteúdos úteis

A sua audiência vai adorar que você disponibilize para ela conteúdos que vão ajudá-la no dia a dia. E se o conteúdo for realmente útil para ela, não tem a menor possibilidade de você incomodar quem lhe acompanha.

Um exemplo:

Vamos supor que você atenda empreendedores no seu segmento. E que entregou um conteúdo deste tipo: dez filmes sobre empreendedorismo para você assistir na Netflix esse final de semana.

Daí eu lhe pergunto: como você pode incomodar a sua audiência com esse tipo de tema, se estará ajudando diretamente?

Ou ainda:

Imagine que você acompanhe uma nutricionista. Pense também que está para viajar e está procurando uma forma de não voltar com alguns quilinhos a mais da viagem. Daí em sua timeline surge o seguinte vídeo dessa nutricionista: três dicas para você voltar da sua viagem com o mesmo peso.

Percebe que isso não iria importuná-lo de forma alguma, já que se trata de algo que você realmente estava procurando?

E com a sua audiência não é diferente. Ela também tem suas dificuldades e cabe a você entregar conteúdos que a ajude a superar os desafios. Mas é bom considerar o perfil da audiência.

Considere o perfil da audiência

A frequência de entrega de conteúdos varia de nicho. Há segmentos em que a necessidade de consumo é tão grande e variada, que a audiência deseja conhecer a sua casa, família, cachorro, bastidores e uma leva de outras coisas que dizem respeito sobre quem você é. E em outros nichos a demanda de conteúdos e de exposição é bem mais reduzida.

Mas isso não é complicado de se resolver. Basta você acompanhar as suas redes sociais e verificar se a dosagem de conteúdo que você entrega está fraca, na medida necessária ou se está incomodando. E se estiver incomodando, acredite, você perceberá isso logo.

E com isso, você vai medindo diariamente o engajamento e vai aumentando os conteúdos na medida que achar necessário.

Mas você não precisa ter medo de se expor.

E algo que você tenderá a perceber é que em 99% das vezes que você postar uma foto sua, o seu engajamento vai bombar. E você vai ver que esse engajamento é uma verdadeira prova que as pessoas adoram isso.

É uma verdadeira maneira de você mostrar que é apaixonado pelo que faz e que está vibrando com tudo que está sendo feito no seu negócio. E saiba que os empreendedores que divulgam o próprio negócio apenas fazem isso porque realmente sentem segurança. Eles não têm medo de vender porque sabem que o seu produto é muito bom.

Então, você não deve ficar fazendo propaganda de seus conteúdos e serviços, mas faça conteúdos úteis para quem lhe segue.

Essas dicas se aplicam a qualquer profissão

Todo esse conteúdo se aplica a qualquer profissional, pois todo mundo pode produzir conteúdo, seja ele advogado, médico ou nutricionista. O que vale é entregar material bom para sua audiência.

Uma professora de inglês, por exemplo, pode conseguir engajamento distribuindo pílulas diárias de conteúdo para seus alunos. Depois de alguns meses de aprendizados, mesmo os alunos de conteúdos gratuitos, poderão utilizar o que absorveram em uma viagem.

E se o conteúdo gratuito for muito bom, porque esses mesmos alunos não iriam adquirir o pago?

Por isso, de forma alguma, pense que está incomodando o seu cliente. Isso é algo que está em sua cabeça. E mais: você nunca vai saber o que se passa na cabeça de seus seguidores se não testar a própria audiência. Logo, não vai conseguir ajustar a própria comunicação.

Gostou do conteúdo?

Então compartilhe nas redes sociais e mostre para os seus amigos. Envie principalmente para aqueles que são mais tímidos e que acham que podem incomodar alguém por promover o próprio trabalho. Eles serão os mais beneficiados.

Aproveite também para assinar a nossa newsletter para receber nossos conteúdos exclusivos de nossa lista de e-mail.

E se quiser assistir a este conteúdo, veja no vídeo abaixo. Até mais!

teclado de computador com redes sociais

Redes Sociais: como usar de forma efetiva

Hoje, uma das dúvidas que mais surgem entre o meu público é sobre como usar as redes sociais de forma efetiva. E isso é muito comum. É tema recorrente e muita gente quer se atualizar a respeito. Principalmente porque as mídias digitais hoje têm uma relação direta com empreendedorismo, marketing digital e pessoal, que também são temas recorrentes no nosso dia a dia.

E mesmo que muitas pessoas tenham preconceito, por exemplo, contra o marketing pessoal, devemos conversar mais sobre esse assunto. E digo isso porque a sustentação do nosso negócio e de nossa visão profissional depende de nosso marketing pessoal. É com ele que você realiza a construção de sua marca, de seu nome e de sua reputação.

E não há mal algum nisso. Você apenas precisa fazer essa construção de imagem de forma ética e íntegra, aproveitando o embalo das mídias digitais. E, é claro, muita gente não sabe fazer da forma correta e acaba se atrapalhando. Mas, você, que está lendo meu texto poderá, agora, aprender muito com as dicas que separei sobre o assunto. Acompanhe:

Dica 1 – Você precisa trabalhar as redes sociais

Essa dica é fundamental para você que precisa urgentemente construir autoridade. Essa é uma forma de seu próprio nome ser mais visível e requisitado. Mas é importante que você não encare as redes sociais como a mídia tradicional, onde você faz propaganda. O que você deve pensar primeiro é em como gerar valor para as pessoas.

E aí entra a importância de se produzir conteúdo.

Para facilitar, vamos dar um exemplo. Suponhamos que você seja nutricionista e quer aumentar a quantidade de consultas, pois sua agenda está com um certo grau de ociosidade. Se você for utilizar as redes sociais para promover seu trabalho, não tente vender nada por ali. Mas procure ajudar quem acompanha os seus materiais.

E você pode ajudar o seu público com dicas de mentalidade e de alimentação, dando sugestões para controle de ansiedade e demonstrando quais alimentos devem ser evitados. Isso irá promover bastante o seu nome.

Dica 2 – As redes sociais são um espaço de relacionamento

Então leve muito a sério o relacionamento com o seu público alvo.

E você pode usar as dúvidas de seus atuais clientes para produzir conteúdo. E isso serve para vários profissionais, como advogados, dermatologistas e dentistas. São justamente as dúvidas desses clientes que poderão ser úteis para gerar conteúdo de qualidade. Afinal, você tem as respostas, já que é um profissional da área.

2.1 – Faça pílulas de conteúdo

Você pode pegar essas dúvidas e produzir pequenos conteúdos com consistência diária. Dessa forma, sua audiência irá acompanhá-lo todos os dias. Por isso, não pense em vender. Pense em conteúdo.

2.2 – Pense na identidade que suas redes sociais transmitem

As suas mídias têm um design agradável, que favoreça o interesse e a interação do público? Por isso, a contratação de um designer para criar uma boa identidade visual, com um bom logo e templates bonitos, é algo necessário.

Os templates são peças gráficas onde você pode facilmente colocar um texto e postar nas suas redes. Com isso, você pode colocar frases inspiradoras com belas imagens na sua fan page, por exemplo.

Uma ferramenta que ajuda bastante é o canva.com. A plataforma permite que você modifique layouts prontos, justamente para você usá-los depois de uma edição simples e rápida. Além disso, existem diversos aplicativos que permitem que você faça essas edições rápidas pelo celular.

2.3 – Algumas dessas artes devem ter sua foto

Isso é bem legal porque faz com que seu público se identifique com você, e invista nisso. Faça uma boa foto e tenha uma boa imagem de perfil. E é importante também que em todas as suas redes sociais esteja a mesma foto. Isso gera familiaridade. Por fim, use o mesmo nome nas redes sociais.

Caso você se chame “Alexandre Pereira Couto da Silva” e gosta de ser chamado de “Alexandre Couto”, use apenas este nome em todas as suas redes sociais. Assim, seu público vai encontrá-lo mais facilmente.

Dica 3 – Ofereça conteúdos úteis

As pessoas apenas irão lhe seguir se oferecer conteúdos que resolvam os problemas delas. E, pegando algumas dicas gratuitas, as pessoas terão algum resultado com você. Dessa forma, elas continuarão lhe seguindo.

E quando o relacionamento evolui, a tendência é que as pessoas comprem algo, seja para contratar uma consultoria, um processo de coaching ou outro serviço. Por isso, você precisa se diferenciar, entregando conteúdos originais e de profundidade.

3.1 – Mostre seus bastidores

Dentro desse conteúdo de valor, você pode promover a sua marca, mostrando os bastidores do seu trabalho. E isso gera muita credibilidade.

E não tenha receio de se mostrar um pouco e de dar a cara a tapa. Seu público vai adorar, porque todo mundo ama bastidores. E isso oferece credibilidade e proximidade.

E posso dar um exemplo de algo que me acontece com frequência. Quando sento para tomar um café com pessoas que interajo apenas virtualmente, elas dizem que sentem como se me conhecessem há anos.

Dica 4 – Depoimentos

Eu sei que muita gente tem vergonha de pedir depoimentos para os clientes. Mas saiba que isso é essencial.

Se você tem clientes satisfeitos, por que não solicitar um depoimento deles? E é muito simples, basta você pedir um depoimento por WhatsApp e tirar um print.

É claro que você vai pedir autorização antes de publicar, mas é bem simples, correto? Depois disso, é só você publicar em suas redes sociais.

E isso tudo é apenas a ponta do iceberg

Acabei de falar várias dicas rápidas, mas quando você colocar a mão na massa, vai sentir algumas dificuldades para criar as suas redes sociais. Mas depois que você construir a sua marca e sua autoridade, o mercado, as ferramentas e as circunstâncias podem mudar. E, ainda assim você terá a sua atividade preservada. Você terá tempo para se adaptar às mudanças e para continuar atraindo clientes de forma automática.

E se gostou desse conteúdo, comece o quanto antes a criação de suas redes sociais. Elas serão fundamentais para tornar o seu negócio rentável e sustentável.

Além disso, este conteúdo também se encontra em vídeo, se quiser assisti-lo. Dê o play abaixo e assista agora!

Além disso, compartilhe este conteúdo nas redes sociais. Já é um primeiro passo para ajudar a algumas pessoas e atrair um público interessante.

E cadastre-se em nossa lista de e-mail para que possa receber os melhores conteúdos sobre empreendedorismo e marketing digital.

computador com caixa de ferramentas para marketing digital

Marketing digital: quais as ferramentas para começar?

Neste texto vou explicar um tema que mexe com a cabeça de muitas pessoas, principalmente as iniciantes: quais as ferramentas para começar no marketing digitalPorém, antes, quero avisar que este texto é uma continuidade de um artigo anterior. Nele expliquei por onde começar no marketing digital.

Portanto, fique à vontade para conferir o texto anterior e voltar a este conteúdo. Garanto que sua leitura será ainda mais proveitosa. Já fez sua leitura? Vamos então ao tema. Vou aproveitar e esmiuçar bastante a parte mais técnica, a qual me dediquei de forma mais breve no artigo anterior. Confira:

1 – Tenha um site com um blog

O blog é principalmente uma ferramenta de texto, pois é principalmente por meio dele que você é encontrado no Google. E, além do texto, você pode colocar outros formatos de conteúdo, como áudios e vídeos. Sim, no blog é totalmente possível linkar esses formatos diversificados, deixando seus posts
mais interessantes para sua audiência. Mas antes de criar o seu site e blog e começar a produzir conteúdos para eles, é necessário fazer alguns procedimentos. Veja quais:

1.1. O primeiro passo é registrar um domínio

Você vai precisar comprar um domínio. Você consegue fazer isso pelo www.registro.br. Mas antes de comprá-lo, é necessário verificar alguns critérios que devem partir da sua estratégia, como expliquei no texto anterior. Se você, por exemplo, definiu que irá se posicionar como freelancer, é interessante comprar um domínio com seu nome. Caso contrário, a estratégia mais comum é comprar um domínio com o nome de sua empresa.

1.2. O segundo passo é adquirir um serviço de hospedagem

Existem vários serviços de hospedagem pela internet. E o que vale é procurar um que satisfaça suas necessidades. Há hosts de vários preços e com características diferentes, mas o importante é que você tenha um servidor onde você possa hospedar o seu site.

1.3. O terceiro passo é adquirir um template WordPress

Se você ainda não conhece, saiba que você vai ouvir muito sobre WordPress, já que está iniciando nesse meio digital. O WordPress é uma plataforma digital que serve para criar sites fantásticos. E é possível
adquirir vários tipos de templates.

O próprio WordPress disponibiliza repositórios gratuitos, onde você encontra templates mais básicos. Mas também é totalmente possível comprar templates. E nesse caso você tem a vantagem do suporte e de que adquirir um modelo de site com mais recursos.

2 – Tenha uma ferramenta para construção de páginas

Este recurso é indispensável. Ele é importante porque você precisa gerar leads – que são contatos de seus clientes em potencial – para se relacionar com eles. A forma de conseguir esses contatos é por meio de páginas que são feitas justamente para essa finalidade. Por conta disso, elas são chamadas de páginas de captura, ou squeeze pages.

E, além dessas squeeze pages, existem outras diversas páginas que são genericamente chamadas de landing pages, ou páginas de pouso. As páginas de pouso servem justamente para que o usuário chegue até nelas para realizar uma ação.

Uma página de captura, por exemplo, serve para o usuário fornecer um contato dele. A página de entrega serve para que o usuário pegue uma recompensa que você oferece em troca do e-mail, por exemplo. Assim como a página de vendas, que serve justamente para o cliente comprar algo de você.

É por isso que você precisa de um produto para construir páginas e o que recomendo é o OptimizePress. Ele é bem simples e é acessível, já que se paga com uma única taxa anual.

3 – Tenha uma ferramenta de automação de marketing

A ferramenta de automação de marketing tem também sua importância fundamental. É por ela que você vai se relacionar com os seus leads. A captura de e-mails. que ocorrerá por meio da ferramenta de construção de páginas, terminará justamente nessa ferramenta de e-mail marketing.

E para você conseguir muitos leads, é necessário oferecer material rico para os seus compradores em potencial. E você pode entender material rico por todo aquele conteúdo de valor, como um vídeo, um
e-book ou um áudio. E qualquer um desses materiais deverá sempre solucionar uma dor, um problema, de seu cliente.

Outras formas que os profissionais do marketing costumam chamar esses conteúdos é de recompensa digital ou isca digital. E isso ocorre justamente porque a ideia desses conteúdos é que você consiga os e-mails – ou outros dados de contato – em troca de um conteúdo de valor.

Por conta disso, ao adquirir a ferramenta de e-mail marketing, verifique alguns pontos importantes:

● Verifique se a ferramenta de construção de páginas que você adquiriu é compatível com a de e-mail marketing. Caso contrário, você poderá ter dores de cabeça para colocar os leads na plataforma de automação;

● Verifique o custo benefício da ferramenta de e-mail marketing. Para o nível que você está começando, é preciso algo mais sofisticado e com custo maior, ou algo mais básico resolve?

● O sistema de e-mail marketing deverá ter uma função chamada autoresponder. Com este recurso, você poderá mandar e-mails automatizados para sua lista.

Verifique esses pontos, pois eles são parâmetros fundamentais para a compra de sua ferramenta. Caso contrário, você poderá ter dificuldades para gerir um sistema que seja caro ou complexo demais para as suas atuais necessidades. Por outro lado, de nada adianta, por exemplo, adquirir uma ferramenta, mesmo que gratuita, que não garanta a resolução de todos os processos básicos de automação de marketing.

4 – Um resumo de tudo e o mais importante

Finalizando este conteúdo, vou trazer os tópicos resumidamente para que você se lembre mais facilmente daquilo que é importante:

● Você precisa de um site com blog. Essa ferramenta servirá como sua vitrine na internet e, por meio dela, você começará a atrair o seu público;

● Além disso, é necessário ter uma ferramenta de construção de páginas para que você tenha como capturar os e-mails;

● Por fim, adquira uma boa ferramenta de e-mail marketing. Dessa forma, você poderá se relacionar com os contatos de seus compradores em potencial (leads).

E agora vem aquela dica final, que é tão importante quanto as outras: chegou o momento de perder medo das ferramentas de marketing digital. Pense que você já fez coisas muito desafiadoras, à primeira vista, em sua vida. Algumas delas foram aprender a andar de bicicleta, a dirigir e a passar no vestibular. Mas você se saiu bem em tudo isso e agora não será diferente. E se você está partindo do zero, pense que a sua grande vantagem é que seu aprendizado será muito maior.

E se você quiser consumir todo esse conteúdo de uma outra forma, eu tenho um vídeo muito popular no meu canal do Youtube que fala exatamente sobre as ferramentas para começar no Marketing Digital! Esse vídeo já gerou vários comentários e feedbacks positivos de pessoas que também não sabia quais ferramentas utilizarem no início da sua jornada no Marketing Digital! Dê o play abaixo e assista agora!

E se gostou desse conteúdo, aproveite para compartilhá-lo nas redes sociais. Dessa forma você estará ajudando muitas pessoas.

Além disso, siga-me nas redes sociais para receber os meus conteúdos mais atualizados e em minha lista de e-mails, onde disponibilizo os materiais mais quentes do momento.

caderno com digital marketing

Marketing Digital: por onde começar?

Antes de mais nada, a pergunta: “Carol, por onde começar no marketing digital?” foi exatamente assim que surgiu este conteúdo. 

Recebi essa pergunta no Periscope e resolvi criar um conteúdo especial com base nela. E realmente acho que seja um tema interessante, pois começar no marketing digital hoje é difícil. Há muitas coisas que precisam ser aprendidas e conteúdo não falta. Por conta disso, muitos acabam desistindo por conta da overdose de informações.

Logo, a prioridade neste conteúdo é definir pontos chave para você seguir a sua caminhada no marketing digital. Sem ter aquele stress de não saber por onde começar. E neste artigo você vai aprender que marketing digital não é um bicho de sete cabeças. E que, apesar de existirem vários caminhos para o aprendizado, você vai perceber que é algo simples e totalmente possível.

E a primeira dica é:

1 – Não comece pelo marketing digital

Pode parecer uma dica estranha, considerando o título do texto, mas não é. 

Você não tem que começar o seu negócio pelo marketing digital, mas definindo a sua estratégia. Esse é o primeiro passo. Mas muitos, e isso é muito comum, fazem o contrário. Compram uma ferramenta de e-mail marketing, um curso de Facebook Ads ou um site. Mas depois não sabem o que fazer com esses recursos. 

Por isso, reforçando, é fundamental começar pela estratégia.

2 – Business Model Canvas

Este é o seu segundo passo. Nessa ferramenta é possível definir de forma clara e simples tudo o que será necessário para a criação de seu negócio. E saiba que esta é a primeira dica que dou para meus alunos. 

Gosto muito desse modelo porque ele parte das necessidades de seu público alvo. Público alvo é um conceito que define, em linhas gerais, quais as características dos seus possíveis compradores.

Mas na internet, como costumamos ser mais específicos, trabalhamos com o conceito de persona ou avatar. A persona é um personagem semi-fictício que representa o modelo de seu comprador ideal. E quando nos relacionamos com esse personagem, colocamos nele todas as possíveis características de nossos compradores reais. 

Dessa forma, fica mais fácil ajudar o nosso público.

Vou ajudar e listar algumas características desse público:

  • As dores. Esse é o item fundamental que deve ser abordado no seu público, pois você deverá ser um mediador entre os seus problemas e as soluções;
  • Dados demográficos. Sexo, idade e localização são itens básicos que devem fazer parte da sua persona, pois eles ajudam definir a abordagem correta para o seu público;
  • O seu produto será uma solução para o problema de seu avatar.

E conhecendo essas características, o seu produto se torna uma oferta irresistível, pois você saberá as dores de seu público alvo melhor do que ele próprio. E isso tudo é uma abordagem estratégica. Não sei se você percebeu, mas não citei nenhuma ferramenta de marketing digital até o momento.

E o mais interessante é que mesmo se tratando de nicho, que é um termo mais digital para público alvo, muitos mercados no Brasil são de massa. E posso afirmar isso com tranquilidade porque moramos em um país com centenas de milhões de habitantes.

Logo, a maioria dos mercados, mesmo que não sejam tão expressivos percentualmente, acabam sendo de massa, pelo grande volume de consumidores.

3 – Defina sua persona claramente

Tratamos sobre persona na dica anterior, mas vamos aprofundar o tema, já que ele é muito amplo e interessante. E é o coração de um negócio digital. 

Por conta disso, recomendo que você faça um estudo aprofundado sobre sua persona.

3.1 – Faça perguntas e pesquise

Para ajudá-lo nessa tarefa existem várias excelentes ferramentas e algumas são gratuitas. Você pode, por exemplo, utilizar de ferramentas de pesquisa para pegar informações com pessoas que teriam as características de sua persona.  O próprio Google tem uma excelente ferramenta de formulário que pode auxiliá-lo nesse momento. E para criar esse formulário, você pode incluir várias perguntas sobre comportamento e características demográficas.

3.2 – Interaja nas redes sociais

Além disso, você pode interagir nas redes sociais e construir seu modelo de persona observando dúvidas e comportamentos de pessoas que se enquadram no perfil de seu avatar. Entrar em grupos onde a sua persona interage, por exemplo, pode abrir portas interessantes para a coleta de dados preciosos.

3.3. – Como sua persona lhe encontra?

Já parou para pensar como você, ou o seu concorrente, é encontrado mais facilmente pelo seu avatar?Sua persona lhe encontra, por exemplo, por uma pesquisa no Google ou passeando pela rua, caso seja um negócio off-line? Outro ponto a se definir é em quais redes sociais a sua persona atua com mais frequência e em qual ela vai estar mais acessível a sua abordagem.

3.4 – Compreenda sua persona

Faça perguntas que tenham relação direta com o seu possível cliente, tais como:

– O que é sucesso para a minha persona?

– Quais são os medidores de sucesso (tempo livre, statuts, bens…) para minha persona?

– Qual é a preocupação de minha persona quando coloca a cabeça no travesseiro?

Pense seriamente nessas questões, pois a sua função é de ser um facilitador para os seus clientes. Você deve se apresentar como alguém que vai ajudar o seu cliente a vencer seus desafios. E, veja bem, até agora não falamos sobre marketing digital.

Até agora…

4 – Estruture seu marketing digital

Chegou o momento de produzir conteúdo e somente agora. Depois de concluir as etapas anteriores, você conhecerá as necessidades de sua persona mais de perto. E com isso saberá como abordar as suas dores. E o conteúdo deverá justamente ajudá-la, oferecendo soluções e quebrando as suas objeções. E saiba que objeções são muito comuns.

Algumas delas são:

  • Será que o que está sendo falado nesse vídeo é para mim?
  • Será que isso funciona para mim?

E tem muitas outras. E, justamente por isso, você deverá gerar muito conteúdo. Nisso entra a geração de tráfego. Veja como estruturá-la:

4.1 – Utilize uma rede social que gere conteúdo para vídeos

É importante investir em vídeos, pois é o formato mais engajador de todos. E, hoje, é o que oferece a mais alta probabilidade de ser encontrado. E saiba que o YouTube é o segundo maior buscador do mundo, perdendo apenas para o Google.

4.2 – Tenha um blog

É fundamental que este blog seja vinculado ao seu site, pois, dessa forma, ele estará cumprindo a sua função. A função de um blog é fazer com que seu site seja encontrado nos mecanismos de busca, como o Google.

4.3 – Encontre as principais fontes de tráfego

É imprescindível saber quais são as fontes de tráfego mais importantes. Dessa forma, você não vai precisar se esforçar demais em todas. Digo isso porque a criação de conteúdos demanda um esforço que deve ser considerado. É necessário manter esse conteúdo com consistência e qualidade. Por isso, não pense que colocando um artigo no seu blog, de vez em quando, sua presença na internet amplificará.

4.4 – Faça um mix entre tráfego pago e orgânico

Nesse momento, é interessante reforçar o estudo nas melhores fontes de tráfego para o seu negócio. E quando você percebe quais são, torna-se mais fácil de responder algumas perguntas, como:

– Já tenho um negócio sólido ou estou começando agora?

– Preciso de uma ferramenta de e-mail marketing muito poderosa ou algo mais básico e gratuito satisfaz minhas necessidades iniciais?

Por conta disso tudo, você precisa mesclar as estratégias do seu negócio com o marketing. Ambos devem caminhar juntos. Por isso, é importante aprender sobre inbound marketing.

5 – Estude (muito) inbound marketing

A pergunta “por onde começar no marketing digital” tende diretamente para o aprendizado de inbound marketing. Essa é uma estratégia ampla que envolve várias etapas do marketing.

Estudando essa metodologia, você aprenderá:

  • A fazer o marketing de atração dos seus possíveis compradores;
  • A converter esses possíveis compradores em leads, ou seja, você conseguiu algum meio de contato deles. O e-mail já serve;
  • A se relacionar com esses leads e a educá-los sobre o seu produto para que comprem de você;
  • A comprarem várias vezes de você e a torná-los evangelizadores de sua marca!

E se quiser você pode saber mais sobre como aplicar a sua estratégia com as ferramentas de Marketing Digital de maneira correta.

E você pode consumir todo esse conteúdo de uma outra forma, eu tenho um vídeo muito popular no meu canal do Youtube que fala exatamente sobre por onde e como começar no Marketing Digital! Esse vídeo já gerou vários comentários e feedbacks positivos de pessoas. Pessoas que também estavam perdidas e sem saber por onde começar. Dê o play abaixo e assista agora!

Seguindo por essas dicas, não tem erro. E as possibilidades de você alcançar o sucesso como empreendedor serão mais altas do que nunca. 

E se você gostou desse conteúdo, aproveite para compartilhar com mais pessoas. E demonstre que lhe ajudou, dando um likeDessa forma, tenho um termômetro para saber quais temas são mais importantes para você.

E muito obrigada pela sua audiência!

poder da lista de e-mails

Poder da Lista de E-Mails: passo a passo para criar uma lista poderosa e compradora

Qual é o maior ativo de uma empresa? Um grande escritório? Máquinas e equipamentos de última geração? Não. O seu maior ativo como empresário e empreendedor, seja digital ou offline, é uma lista de e-mails compradora e engajada. A verdade é que, se você ainda não está construindo a sua lista de e-mails, você está deixando dinheiro na mesa. E esse é um luxo que empreendedor nenhum pode se dar!

Imagine que você é um cliente e vai em uma loja onde a pessoa lhe atende de cara fechada. Com má vontade, como se estivesse fazendo isso obrigada. Você já se viu nessa situação? É muito provável que você não se sinta à vontade e nem queira comprar nada dessa loja, não é verdade? Agora, se você é atendido com muita simpatia. Por alguém que se mostra uma pessoa atenciosa e empenhada em resolver seus problemas? É capaz até de você voltar à loja só por conta dela, é ou não é?

Mas e o que isso tem a ver com listas de e-mail, você está se perguntando?

Bem, a sua lista é uma das ferramentas mais poderosas e eficazes que você pode usar para mostrar que se importa com o seu público. Isso significa que a lista será o seu vendedor com um sorriso no rosto, mas na internet. E para qualquer tipo de negócio, seja online ou offline, ter um bom relacionamento com o cliente é essencial!

Por isso, uma lista de e-mails engajada é o maior patrimônio que uma empresa pode ter. Afinal, como diz um velho ditado de Marketing Digital, “the money is in the list!” (o dinheiro está na lista). E se você já tentou divulgar um produto ou serviço através das redes sociais e do e-mail. Tenho certeza que você já notou como o e-mail converte MUITO melhor. Isso porque o e-mail marketing tem o poder de criar relações muito mais personalizadas com os clientes e aproximá-los da sua marca. Além de manter uma comunicação muito saudável e direta.

Mas, eu preciso que você saiba que, quando falamos de lista de e-mail e e-mail marketing, sempre tenha isso em mente. Quantidade está longe de significar qualidade.

Às vezes, uma lista com 10, 20, 30 mil pessoas, não é garantia de muitas vendas, e eu tenho duas razões para isso.

A primeira é a falta de estratégia de captação e geração de leads qualificados para a sua lista. A segunda é que, tão importante quanto ter uma lista de e-mails, é se relacionar com essa lista. Entregando conteúdo de valor para ela e não apenas tentando vender o seu produto ou serviço.

Por isso, ter uma lista grande não quer dizer nada. O que importa mesmo é como você conseguiu a lista e o que você faz com ela. Como dizem por aí, tamanho não é documento. A dica aqui é motivar a pessoa a criar um relacionamento com você. Mostre que assinar a sua lista trará vantagens pra ela. Mas tenha em mente, quando fizer isto, significa que está prometendo aquela pessoa que seus e-mails terão conteúdos de valor. E promessa é dívida, hein?!

Claro que, o caminho é longo e trabalhoso até você conseguir consolidar uma lista de e-mails e contatos explosivos, compradores e altamente engajados. Mas acredite, funciona e se paga.

E para te ajudar nessa jornada, vou te mostrar alguns passos, que você pode replicar na sua empresa, de como criar essa lista de leads do zero. Dá só uma olhada:

#Passo 1: Preparação para gerar leads

Primeiro, não comece nada antes de definir um nicho e conhecer muito bem a sua persona (público-alvo). Escolher um nicho pode parecer difícil, mas é de extrema importância que você tenha isso muito bem definido. Dessa forma, você poderá criar uma estratégia segmentada, personalizada e certeira de geração de leads.

Após definir o seu nicho de negócio e o seu público-alvo, você deve montar a sua persona. Persona é uma espécie de “avatar”, uma personificação do seu cliente ideal. Que reúne as principais características dos seus consumidores (não só características demográficas, mas, principalmente as dores e sonhos dessa pessoa).

Você deve saber exatamente qual o perfil do público que compraria de você, quais seus desejos, necessidades, dores, quanto ele pode gastar com o seu produto. Cada negócio é único e por isso essas escolhas vão depender das suas especificidades. Levante um relatório completo da sua persona, isso também vai te ajudar muito na hora de escrever seus e-mails.

#Passo 2: Geração e captação de leads qualificados

Existem inúmeras possibilidades de ofertas para atrair leads, e cabe a você identificar o que é mais atrativo para o seu público. AQUI no blog nós já possuímos um artigo bem completo sobre geração e captação de leads, inclusive com uma lista de 4 tipos de conteúdo (os mais usados pelas empresas) que funcionam muito bem como isca ou recompensa digital para captação de leads. Eu recomendo que você vá lá, leia o artigo e depois volte aqui para continuar a leitura desse. Eu espero.

Para ler o artigo 4 tipos de iscas ou recompensas digitais para aumentar a sua geração de leads.

#Passo 3:  Criação de Landing Page para conversão

Depois de pensar em qual oferta é mais relevante para o seu público alvo, é preciso fazer a troca. Oferecendo a oferta pelas informações do usuário. Para isso, você vai precisar de uma Landing Page ou Página de Captura (ao pé da letra, significa “página de pouso”). É uma página designada exclusivamente para a conversão e pensada de forma que a Landing Page represente exatamente o conteúdo que se quer encontrar. Ou seja, deve ser objetiva, segmentada, específica.

Uma Página de Captura eficiente e bem produzida, levando em conta algumas técnicas de otimização, como uso de Call To Action e Teste A/B, por exemplo. É capaz de gerar altas taxas de conversão para o seu negócio. Ela irá garantir que uma maior quantidade de pessoas entrem em contato com a sua marca. Transformando usuários em clientes e fazendo com que uma pessoa não somente visite o site, mas interaja e pratique uma ação, realizando uma conversão.

O layout da sua Landing Page é fundamental, pois é a primeira coisa que o cliente visualiza. Como diz o velho ditado: “a primeira impressão é a que fica”. Você precisa trabalhar em um design que seja profissional e atrativo. Mas que ao mesmo tempo não desvie a atenção do visitante para o foco principal. Que é adquirir o seu produto em troca das informações pessoais. Você também precisa pensar no texto que explica a oferta, de forma que transmita o valor da mesma e o benefício para o visitante. E, por fim, escolher de forma inteligente quais as informações exigidas na conversão (campos do formulário).

#Passo 4:  Geração de valor para a sua lista

Depois que o seu visitante preencheu o formulário de conversão da sua Página de Captura e adquiriu o seu produto, ele se tornou um lead qualificado da sua empresa. E agora faz parte da sua lista de e-mails. O próximo passo é começar a se relacionar com essa pessoa. E o relacionamento que você mantem com a sua lista é fundamental para que você aumente sua receita sem ter que aumentar o custo de divulgação.

No relacionamento com a sua lista de e-mails o importante é gerar valor e não apenas enviar um e-mail quando for tentar vender um produto ou serviço. A dica pra você aqui é utilizar a regra do 80/20: 80% do que você for entregar para a lista de e-mails deve ser um conteúdo muito relevante para o seu público. Ou seja, um conteúdo que vai ajudar a curar uma dor da sua audiência.

Você tem agora 20%, que deve ser destinado à vendas. Afinal, através do conteúdo que você gerou, você ganhou credibilidade e a confiança da sua audiência. E, além de existir o relacionamento de troca, eles já estarão prontos para comprar de você.

Mas lembre-se: Procure oferecer conteúdos relevantes, de valor, informativos e não promocionais, além de recompensas para o seu público. Gerar valor vai gerar também confiança do seu público, e vender para uma lista que confia em você é bem mais fácil.

#Passo 5: Avaliação de resultados

Na hora de analisar o retorno gerado por uma lista de e-mails, é importante não se precipitar. É preciso levar em consideração uma série de fatores e contextos. É importante que você saiba o que está acontecendo. Que faça análises a cada período e entenda as perspectivas reais do seu negócio. Você precisa saber, por exemplo, quais os canais que você tem trabalhado. E quais deles são os grandes responsáveis pelo seu resultado. E também quanto tem custado gerar um lead qualificado em cada canal.

Essa análise vai te ajudar a entender o que tem funcionado e o que não tem funcionado bem na sua estratégia. Para que você possa corrigir e/ou cortar os erros e investir mais nos acertos. O importante não é acertar de primeira, mas aprender com os seus erros e corrigi-los rapidamente. Erre bastante, rápido e barato!

Mas atenção: esse é um aviso e uma dica muito importante, principalmente para você que está começando agora sua jornada no Marketing Digital.

E, como todo empreendedor deseja aumentar sua lista de e-mail: NUNCA compre listas de e-mail prontas!

Esse é o caminho mais rápido para o fracasso da sua estratégia de e-mail marketing. Além de você sujar seu nome e gasta dinheiro no processo. O engajamento dessa lista tem grandes chances de ser extremamente baixo, já que as pessoas não conhecem você ou seu trabalho.

É importante você ter uma estratégia se quiser vender para a sua lista, não basta apenas ficar oferecendo produtos sem gerar valor e criar confiança para seus leads. O processo de construir e consolidar uma lista de e-mails engajada, com uma audiência que conhece você, o seu trabalho, confia e compra de você é longo, é verdade. Mas acredite, as recompensas e os resultados futuros, não só para o seu negócio. Mas também para te ajudar a se tornar uma Autoridade Digital no seu nicho, serão incríveis e altamente positivos.

Eu recomendo fortemente que você siga essas dicas. E invista em tempo para se dedicar a sua lista, gerar conteúdo e se relacionar com ela. Com certeza você poderá colher bons frutos.

Por fim, uma dica: ficar respondendo e enviando dezenas, até centenas de e-mails por dia, manualmente, é inviável. Existem inúmeras ferramentas no mercado de automação de e-mails e gerenciamento de listas, criação de funis de e-mails e etc. Tudo o que precisa para não só criar um relacionamento com essa lista, mas mantê-lo e otimizá-lo. Assim, fica muito mais fácil se comunicar com a sua lista, e vai lhe poupar muito tempo. É isso que vai transformar a sua lista em uma lista compradora e de alta performance!

A ferramenta que eu uso e recomendo é o Infusionsoft, uma ferramenta poderosa de e-mail marketing e que é uma solução completa para os pequenos e médios empresários conseguirem administrar suas vendas e atividades de marketing. O Infusionsoft pode fazer muito pelo seu negócio, seja ele online, como um e-commerce, ou uma loja física. Sendo  uma solução de vendas/marketing/e-mail completamente automatizada. Se você quiser conhecer mais sobre o Infusion, pode acessar esse link: http://mktminds.co/infusionsoft

Outra ferramenta, essa nacional, muito usado pelos micro e pequenos empreendedores é a Lead Lovers. Menos completa e sofisticada do que o Infusion, mas com a vantagem de ser mais barata e acessível, a Lead Lovers também vai proporcionar automação de e-mails, gerenciamento de leads e criação de máquinas e funis de e-mail. Clique aqui para conhecê-la: http://mktminds.co/leadlover

Deixe o seu comentário pra gente logo abaixo! Seu feedback é indispensável para que possamos ser úteis em nossos artigos.