O Poder das Pausas para a Alta Performance dos Empreendedores

Empreender é uma tarefa muito solitária na maioria da vezes. Quantos “eupresas” você tem visto à sua volta?

É o que mais se vê nos dias de hoje, com o crescimento de empreendedores individuais batendo todos os recordes, dada a nossa conjuntura econômica.

Daí surge uma grande dificuldade inerente a esse desafio de empreender sozinho, que é conseguir pausar em algum momento para recarregar as baterias. O empreendedor vai negligenciando essa importante aliada para os seus resultados: a pausa.

Pausas curtas e disciplinadas ao longo do dia, e também as periódicas mais extensivas, são o combustível da saúde física e mental, sem as quais o empreendedor não vai muito longe.

Sim, porque se não houver pausa, existe uma grande chance de se criar um quadro de stress, uma síndrome de burnout, uma doença grave, e assim colocar tudo a perder.

Em 2015 estive na High Performance Academy com o maior coach do mundo nessa área, o Brendon Buchard, e a pausa foi um dos um dos pilares apresentados para a Alta Performance na vida e nos negócios.

A pausa ao longo da jornada diária, além de servir para se hidratar, se esticar, descansar a mente, é responsável por aumentar a sua clareza mental e manter o seu foco, ambos fundamentais para obter mais produtividade em um dia de trabalho.

Uma dica para se disciplinar é usar o alarme do celular e se obrigar a dar aquela paradinha por cerca de 10 minutos a cada 1 hora pelo menos, até que ela vire um hábito consolidado.

Portanto, mesmo que esteja se sentindo super disposto para ir em frente e “terminar logo” aquela tarefa, saiba que a disciplina de parar por alguns minutos acarreta em menor perda cognitiva durante o processo. Existe até uma frase em inglês que diz: “Work smarter, not longer”.

O difícil é convencer o empreendedor que ele precisa aprender a pausar quando está possuído pela vontade de caminhar rápido e encara diariamente uma enorme fila de tarefas com quase nenhuma equipe, especialmente quando o negócio está começando. Mas é preciso experimentar e colher os benefícios desse hábito.

A pausa pra mim nunca foi uma tarefa fácil. Sempre fui conhecida nas empresas que trabalhei pela dedicação extrema e pela tendência workaholic. Na minha época corporativa esse era um perfil muito valorizado e isso coincidia com a crença que aprendi cedo em casa: “de que é preciso trabalhar muito duro pra fazer sucesso e dinheiro”

Descobri em minhas buscas de desenvolvimento pessoal que essa é a crença limitante que mais me atrapalhava e até hoje luto com ela. Crenças definem nosso modo de agir na vida. Aos poucos fui vendo que essa é apenas uma crença e não uma verdade absoluta,  afinal, quantas pessoas bem sucedidas eu conheço que não precisam trabalhar em esforço extenuante para terem sucesso naquilo que fazem.

Fato é que, enquanto pensarmos assim, estaremos comandando nosso cérebro para que o processo de ganhar dinheiro seja sofrido e exaustivo. Nosso cérebro vai trabalhar para manifestar uma realidade coerente com as nossas crenças, afinal esse é o papel dele. E assim, vai ser sempre difícil e exaustivo ganhar dinheiro.

Com muita consciência dessa crença, e muita disciplina para me permitir pausar,  esse ano começou diferente (2017). E de fato tem sido um ano bem mais leve, as metas continuam desafiadoras, mas o comportamento mudou. Estou me tornando cada vez mais habituada às pausas, com vários pequenos momentos de recarga de energia.

Uma das minhas maiores vitórias esse ano foi ter retomado um hobby antigo: dançar jazz. Por mais que eu tentasse, nunca conseguia por pura crença de que o problema era tempo. Na verdade eu não me permitia pausar. A mente dizia: você precisa “trabalhar muito duro se quiser fazer dar certo”.

E  pasme: essa simples decisão de abrir espaço para o hobby, além dos momentos de relaxamento mental e físico, tem me ajudado muito na criatividade para o meu negócio. Não raro tenho insights valiosos após as aulas. E também tem me permitido estar menos tensa nos momentos de dificuldade.

O começo de um negócio é realmente de uma dedicação extrema e é esperado que cause muito desequilíbrio. Mas hoje tenho comprovado que correr em velocidade constante é mais útil pro negócio do que os tiros de velocidade alternados com momentos de língua pra fora.

Portanto, mesmo que você ainda seja uma “eupresa”, e que sua lista de fazeres pareça interminável, use a cabeça, desafie suas crenças e se dê essa chance de pausar. Seus negócio agradece.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *