Não é raro eu estar quietinha na minha cama, estudando, e entrar uma mensagem no whats app ou inbox. Como acabou de acontecer. Apesar de não ter notificações ativadas, o universo sempre providencia que eu veja. Muitas vezes são desconhecidos, outras vezes amigos e até ex colegas do mundo corporativo. Pessoas que estão passando por um momento de infelicidade no trabalho ou falta total de rumo na área profissional. E, talvez procurem a fórmula mágica para vencer este momento!

Por mais complexo que seja ajudar parcialmente, sem as ferramentas ideais que teria em um trabalho mais completo. Eu não consigo segurar o ímpeto de tentar ajudar.

Muita gente acompanhou minha história de transição, e essas pessoas acreditam que possam encontrar no meu inbox algum conselho útil. A dor dessas pessoas é tanta, que mesmo os desconhecidos me confidenciam suas histórias, me pedem conselhos em tom de súplica.

Eu consigo entender perfeitamente! Pois ficar infeliz e se sentir perdido naquilo em que é obrigado a usar 12 horas por dia, torna-se algo insuportável. Quando aconteceu comigo foi uma missão inglória tentar resistir. Meu remédio foi um só: mudança.

Mas não é tão fácil assim pra muita gente, eu sei. As pessoas são diferentes, criações diferentes, toneladas de crenças e medos e os contextos são bem diferentes. É preciso calma.

Mas acima de tudo, é preciso movimento. Você é o seu maior colaborador.

A única coisa que eu tenho certeza que é igual pra todo mundo é que se você não colaborar consigo mesma nessa busca, não vai achar o que procura. E os danos pra você e sua família em volta, que sofre junto, podem ser imensos.

Uma desestruturação na área profissional infelizmente tem a capacidade de detonar o resto todo. Infelizmente. Eu me conecto emocionalmente com essas situações. Eu já estive do outro lado e tenho a sensação de que, se eu não ajudar, se eu não compartilhar meus aprendizados, estarei privando alguém de receber algo que pode fazer toda a diferença na sua vida, nem que sejam palavras pela rede social.

Então, vamos lá!

Sei que tenho um limite do que posso fazer pelo facebook, por um artigo, por um vídeo, diferentemente do trabalho um a um como coach, mas, por outro lado, eu também sei o quanto uma “peça de conteúdo”, uma história compartilhada, tem a capacidade de impactar muito mais pessoas, inclusive aquelas que eu nem consigo imaginar.

Meu recado pra você que se sente assim, TOTALMENTE PERDIDO na área profissional, sem saber se se demite, se procura outro emprego e muda o problema de endereço, ou se vai em busca do seu sonho de empreender, é o seguinte:

As respostas não estão fora, infelizmente. Seria mais fácil né? Saber que você poderia pagar um coach, um curso, um retiro e que alguma dessas coisas poderiam te dar todas as respostas. Seria libertador.

Mas não funciona assim, pelo menos não quanto a isso. Você deve buscar todas essas ferramentas sim e elas vão te ajudar, vão facilitar o seu processo da maneira correta e você vai chegar lá, mas entenda de uma vez por todas: as respostas estão com você.

Se você está perdido, entenda isso como algo que está sendo necessário pra você se encontrar, pois tudo na vida é um par de opostos. Uma coisa não existiria sem a outra. E o seu chamado é: você precisa colaborar.

O que eu chamo de colaborar?

Vamos dar um exemplo: muita gente chega pra mim, depois de um processo de coaching e auto conhecimento para empreender, e diz algo mais ou menos assim:

“eu acho que gostaria de fazer algo nessa área ou naquela; eu acho que sou bom nisso e naquilo; eu acho que isso poderia dar certo, dar dinheiro, mas não sei, sempre mudo de ideia e nunca tenho certeza.”

Resultado: a pessoa nunca inicia um processo de ação e fica ancorado pela incerteza.

Isso é super compreensível, pois uma das necessidades primárias do ser humano é a segurança. Além de ser da natureza, foi algo reforçado ao longo da vida por pais e educadores que sempre pensaram fazer o seu melhor, para nos ajudar a fugir da dor.

Qual a mãe que em sã consciência gosta de ver um filho na dor? Por isso, ela educa e estimula para a segurança. Ela não consegue suportar a ideia de não estar por perto quando a dor vier, por isso, faz de tudo para evitá-la. Então educamos para segurança e estabilidade sob a justificativa da proteção.

Olha, a minha experiência nesse assunto não é teórica, foi uma jornada pessoal e se você quiser mais detalhes, baixe esse ebook, ele já ajudou muita gente: OS 4 PILARES DA TRANSIÇÃO DE EMPREGADO A EMPREENDEDOR

Eu senti essa dor de olhar pro lado e não me conectar mais com o meu trabalho e a minha situação. Meus sentimentos clamavam por mudança, mas a minha mente protetora me estimulava a não deixar o incômodo crescer. E assim, no piloto automático, por algumas vezes eu adiei essa decisão.

Até lembrei agora de um ex chefe que me disse: “achei que você durou muito sendo empregada de alguém. Tinha certeza que ia partir antes.” Engraçado é perceber como que, na época, eu não me dava conta disso.

Mas quando a hora chegou, foi preciso muita disciplina para seguir em frente, tomar decisões e fazer escolhas mesmo sabendo que eu podia estar errando. E mesmo sabendo que eu estava arriscando coisas preciosas pra mim, como a segurança da minha família. Foi difícil e eu busquei muito apoio na minha família pra recomeçar, eu tive que conversar muito com eles. E você precisa fazer o mesmo com as pessoas que te amam, e no fundo não te apoiam porque elas tem medo e querem te proteger. Cabe a você ajudá-las a dissipar esse medo, colocar-se com clareza e auto confiança na suas novas escolhas.

As historias que nos contamos

Mas, voltando ao tema central dessa conversa aqui, minha experiência com pessoas que repetem muito pra si mesmas que estão muito perdidas é que isso é uma forma de nunca começar.

É medo, auto sabotagem, processos condicionados da mente. É a crença de que não vai dar certo.

A própria crença de que está perdida precisa ser resignificada, re-fraseada, pois ela está te contando uma historinha sobre si própria que não ajuda em nada.

Que tal fazer um exercício? Num momento de calma, sem interrupção, estando 100% no momento presente, se pergunte:

1) Como esse pensamento me faz sentir? E escreva no papel.

 2) Agora se pergunte de novo: quem você seria sem esse pensamento? E escreva novamente. Coloque pra fora, escreva.

 3) E agora faça uma inversão dessa crença e escreva: “eu não estou perdida, eu apenas ainda não comecei o que preciso para me encontrar.”

 Existe uma máxima que ajuda muito nesse tipo de situação: numa estrada escura, o farol do carro só ilumina os próximos 100 metros e não a estrada inteira. Isso significa que você precisa cair na estrada escura.

Sem entrar em Movimento pra obter respostas sabe o que vai acontecer? Você não vai encontrar respostas. Perceba se você realmente está buscando as respostas com ações concretas, ou só com pensamentos.

Comece a entrar em ação intencional

Se você tem ideias, comece a testá-las com as pessoas de uma forma que seja simples, dentro do seu contexto. Não espere ter todos os recursos do mundo muito menos todas as respostas pra começar um movimento de experimentação.

Diferentemente do que alguns pensam, na minha jornada eu também não comecei sabendo que era aquilo que eu queria pra minha vida. Eu sabia que iria trabalhar pelos meus projetos, empreender na vida. Mas estava muito aberta, abraçando oportunidades e fui mudando à medida que o farol iluminava.

Uma pessoa me disse outro dia pelo whats app: “aquele post que você fez me deu um insight do que eu poderia fazer para empreender”. Eu rapidamente disse:

Então faça algo a respeito, não espere ter certeza”. A fórmula depende de você!

Se algum sinal mexe com você, não fique paralisada ou apenas alimentando essa dúvida. Por que você não se coloca em ação com algo mínimo e viável pra coisa simplesmente começar a iluminar?

Dividir isso em pequenas ações diárias, de busca, de pesquisa, de conversas com quem já fez o que você quer fazer. Coloque-se metas de avanços como micro metas, diárias. E todo dia você deve se perguntar. “O que eu fiz hoje, ainda que seja pouco, aumenta a minha clareza? Ou me faz avançar um pouco mais em direção aos meus objetivos de vida?

Tenho visto claramente que as pessoas hoje tem muito mais chance de recomeçar, sem ajuda, sem dinheiro, sem respostas prontas. Elas tem na internet uma grande aliada. E isso tem dado às pessoas uma perspectiva maior de viver das suas paixões e talentos.

Comece algo novo amanhã, um movimento pelo menos, sem esperar mais nada, mesmo sem ter tempo, mesmo sem ter dinheiro, sem ter ajuda.

Tire o binóculo da ausência de certeza e coloca ele naquilo que é real, que está ao seu alcance.

Em 99% das vezes não agimos por medo de fracassar, mas o medo morre de medo da ação. Porque somente a ação gera clareza e não o contrário. E sempre que a clareza entra em cena o medo acalma.

Então apenas se pergunte, o que eu posso fazer amanhã para começar?

 Beijos e Mão na Massa

P.S: Eu espero sinceramente que esse texto chegue a quem precisa dele nesse exato momento. Se você tiver o ímpeto de ajudar mais alguém, compartilhe.

TRANSIÇÃO DE EMPREGADO A EMPREGADOR A FÓRMULA