2 de dezembro de 2020

Mitos e verdades sobre personal branding: domine esses conceitos e alavanque sua marca pessoal

Personal branding, brand, marketing pessoal, identidade visual, você sabe a diferença entre esses termos?

Desde que eu lancei o Arrase na Marca Pessoal, recebo muitas dúvidas das minhas seguidoras sobre esses assuntos e percebo também que falta clareza a respeito desses conceitos que estão intimamente ligados, mas que não são iguais.

Por isso, neste artigo eu vou te explicar de forma simples o que é personal branding e também desconstruir alguns mitos e confusões bem comuns que surgem por conta das semelhanças dos nomes e por causa da quantidade de termos que o mundo do marketing tem. 

Mas afinal de contas, Carol, o que é personal branding?

Vamos lá! Personal branding nada mais é do que o processo de gerir a sua marca pessoal para garantir que as pessoas te percebam da forma que você quer ser vista e lembrada. E garantir que elas percebam claramente os seus diferenciais. 

Ou seja, é você conscientemente trabalhar a sua imagem para transmitir seus propósitos, valores e as características que são seus pontos fortes e tem o poder de te diferenciar no mercado. 

E brand, no singular, é o termo em inglês equivalente a marca, ou seja, essa imagem que as pessoas têm de você, consciente ou inconscientemente, fruto das suas ações. 

A definição é simples, porém o trabalho é sofisticado e envolve várias ações. Gerir a sua marca é um processo, é uma construção que passa por todas as ações de comunicação e contato com quem te observa, seja numa rede social ou no seu dia a dia. 

Construir uma marca não é apenas construir uma logo e uma identidade visual. Estamos falando do todo da comunicação e da formação de uma imagem a partir dela. 

Apesar de sofisticado e profundo, esse é um trabalho perfeitamente possível de ser feito por todas as pessoas dispostas a mergulharem para dentro de si mesmas e também dispostas a ouvir feedbacks, que é fundamental para identificar seus verdadeiros pontos fortes e abraçá-los! 

É uma jornada capaz de explodir o seu potencial, uma vez que você entende como deixar uma marca forte por onde passa, coerente com quem você é, e dessa forma se tornar uma profissional notada e requisitada na sua área de atuação.

Em outras palavras é tomar consciência e coragem de ser quem você é e imprimir uma marca no mundo a partir disso. E dessa forma buscar reconhecimento em todos os aspectos, seja ele financeiro ou de realização profissional. 

Certo Carol, e como eu faço isso?

O trabalho de personal branding tem como ponto de partida uma investigação minuciosa sobre quem nós somos na nossa essência. É o nosso diagnóstico. E quanto mais auto conhecimento você tiver, mais forte e única será a sua marca

Então, a primeira coisa que a gente precisa entender é que fazer um processo de gestão de marca pessoal é também entrar em contato com instrumentos de desenvolvimento pessoal. 

E sim, você vai precisar dedicar um tempinho para refletir e colocar no papel quem é você de verdade, quais são os seus valores, suas aspirações, como você se enxerga e se define, qual é a sua missão no mundo e como gostaria de ser lembrada.

No primeiro momento é difícil, mas garanto que é transformador. E quanta clareza vem junto! Esse exercício é muito importante e revelador. Só parando mesmo para colocar tudo no papel é que a gente passa a se dar conta do nosso potencial escondido, a nossa “mola encolhida”, como diz a música do Lulu Santos.

Mas além desse mergulho pra dentro, você também vai precisar fazer o movimento contrário, ou seja, olhar para fora e pedir feedbacks das pessoas para entender como você já é visto.

E como deve ser esse feedback? Uma simples pergunta sobre o que vem à cabeça das pessoas quando elas pensam no seu nome já vai te fornecer muitas informações preciosas. Peça para elas resumirem em 3 a 5 palavras as características/adjetivos mais marcantes em você. Peça para amigos e colegas de trabalho, clientes, seguidores, pois é interessante variar o tipo de relação com o interlocutor para ter essa visão mais ampla. 

Você pode enviar essa questão de forma muito simples usando o WhatsApp, na sua rede de contatos, e até mesmo usar os recursos de enquetes e pesquisas na sua audiência de seguidores.

Aí é só aguardar os retornos! E você vai se surpreender, assim como várias das minhas alunas e clientes que já fizeram o exercício e se emocionaram com as respostas. Isso porque acontece muito de a gente ter uma auto imagem pior do que as pessoas têm da gente. É muito libertador!

Apesar de essa ideia parecer assustadora em um primeiro momento, eu te garanto que você vai amar passar por esse processo, descobrir os adjetivos recorrentes pelos quais as pessoas te identificam e usar, claro, essas informações a seu favor. 

Durante esse exercício, você também vai descobrir o que faz as pessoas te darem preferência e o porquê elas compram de você e não do concorrente. 

E a gente precisa mesmo conhecer esses motivos porque o tempo, a atenção e o dinheiro das pessoas nunca estiveram tão disputados. Então é fundamental ouvir o que as conectam com a gente para que a gente consiga potencializar esses elementos na nossa comunicação. 

Depois que você já fez o movimento de olhar para dentro e para fora, você vai precisar olhar para tudo o que você já faz e analisar se a imagem que está projetando hoje combina mesmo com o que você quer ser. Ou será que você mudou no decorrer do tempo e acabou não trabalhando para mostrar esse novo eu ao mercado?

Acho que agora a gente já consegue entender que o trabalho de marca pessoal é definir exatamente o que você deseja como imagem e lapidar isso.

Então eu te pergunto: qual é a sua mensagem principal, qual é a sua promessa de marca, o que você quer que as pessoas percebam e falem de você e dos seus diferencias? 

Sempre se baseie, claro, nos seus pontos fortes, e não nos fracos. Não adianta nada a gente dar foco em mudar da água para o vinho os pontos fracos, enquanto os pontos fortes estão lá prontos para serem potencializados, e dessa forma nos darem resultados muito mais rápidos. Dos pontos fracos a gente faz o diagnóstico para ir melhorando aos poucos, de forma amorosa, para que eles não nos atrapalhem.

Assim que você conseguir identificar seu “potencial diferencial”, que eu costumo chamar de borogodó, trabalhe conscientemente para ele ficar marcado na mente das pessoas, reforçando positivamente essa imagem.

Mulher arrasadora: o case da Martha Gabriel

Um ótimo exemplo que eu quero dar pra vocês de trabalho de marca pessoal é o da Martha Gabriel. Gente, ela é uma grande referência nas áreas de negócios, marketing, tendências e inovação, e é considerada uma das principais pensadoras digitais do Brasil. A Martha está há anos em um mercado que se transforma o tempo todo. E ela continua muito bem sucedida.

Ela me deu a honra de participar do último mentoring weekend e, no evento, contou um pouco sobre a trajetória da carreira dela, que já mudou bastante, e como o autoconhecimento atrelado ao trabalho de marca pessoal a ajuda a reforçar a imagem que ela quer passar no mercado e deixar como legado. Veja um resumo do que ela disse: 

“Quando a gente vai se autoconhecendo, a gente acaba naturalmente escolhendo o caminho da nossa marca pessoal mais adequada, que é o espaço onde a gente se sente confortável e bem. Quando isso acontece, você consegue conectar com as pessoas de uma maneira que elas enxerguem você e que você se posicione de uma maneira clara.

E a minha marca no mundo, ela vai expressar o que eu sou. E ao mesmo tempo que eu sou uma mulher que gosta de se vestir bem e arrumadinha, eu trabalho com tecnologia profunda, eu mexo com artes, eu sou brincalhona, mas também sou séria, eu criei a minha voz. 

O grande desafio é: como é que eu consigo conciliar isso que eu sou com aquilo que eu estou fazendo agora, para aquele público? Como é que eu mudo o tom da voz de acordo com quem vai me ouvir? Mas não a mim, é a mesma pessoa”.  

E olha que a Martha transita por muitos lugares, ela dá palestras no Brasil e no mundo para executivos de grandes empresas, pro Sebrae, é professora universitária, autora de bestsellers, geek por essência… Ela é um verdadeiro camaleão e alinha seus vários chapéus de forma muito coerente e consistente, e eu acho que a gente tem muito a aprender com ela. 

Inclusive, lá no meu Instagram deixei disponível no IGTV uma live que eu fiz com ela cujo tema foi Marketing na Era Digital. Vale muito a pena! E para você que ainda não a conhece, aproveite para consumir uma hora de conteúdo inédito dessa mulher arrasadora e maravilhosa.

Mas voltando ao nosso estudo de branding, você pode ainda estar se perguntando se pedir feedbacks é realmente necessário. Será que não bastaria eu definir o que quero e construir essa imagem?

Olha, não. Sabe por quê? Querendo ou não, você já tem uma marca pessoal que está circulando aí. Ou seja, as pessoas pensam alguma coisa de você, elas têm uma percepção quando ouvem o seu nome.

Sim, arrasadores, como eu costumo dizer, vocês já têm uma fama na praça. Porque todos nós temos. 

E essa marca, a gente deixa transparecer em cada pequena ação que realizamos no nosso dia a dia. Percebam que aqui eu não estou falando só de presença digital ou posts em redes sociais, mas sim da forma como você se veste, como você trata as pessoas, os seus funcionários, com quem você é visto, quais traços da sua personalidade você mostra, entre tantas outras coisas. 

E com esse levantamento em mãos, é possível despertar na gente essa consciência e fazer uma gestão ativa da nossa marca no mercado. Assim você vai poder expressar sua personalidade, sem fugir da sua essência, mas reforçando as características positivas mais marcantes que as pessoas já atribuem a você.

Na prática, você estará fazendo um alinhamento entre a sua própria autoimagem e a imagem que as outras pessoas têm de você, de forma consciente. Depois de entender muito bem quem você é, você vai poder contar sua história de modo intencional e autêntico. Exatamente como a Martha nos contou que faz.

Outra coisa muito importante, que ficou bem marcada na fala dela é que o processo de branding passa necessariamente pela identificação de seu público-alvo, mais especificamente do seu cliente ideal, de modo que as mensagens de posicionamento de sua marca repercutam nele. 

Esse trabalho é fundamental, principalmente agora, já que a pandemia trouxe muita gente do offline pro online. E todas elas, umas mais outras menos, estão produzindo conteúdos, certo? E está cada vez mais difícil se destacar.

Com o trabalho de marca pessoal, você vai conseguir fugir daquele mercado cheio de profissionais commodity, sem diferenciação, no qual a briga por preço é inevitável, cruel e até mesmo destruidora de negócios. Um produto commodity não consegue aumentar preço, é o mercado que regula. Não existe diferenciação, não existe possibilidade de se destacar sendo um profissional commodity como se fosse uma matéria prima, como o café, milho, soja, cujos preços são tabelados. Fuja disso!

Nós, como profissionais, podemos entregar mais qualidade, mais valor e cobrar aquilo que a gente acha justo pelo nosso trabalho. E muita gente não está conseguindo fazer isso porque não está sabendo como se diferenciar.

E se você chegou até aqui, e já entendeu o que uma marca é capaz de fazer por um profissional, já sabe que não basta aprender o que é da nossa profissão, mas também é necessário desenvolver habilidades de marketing e negócios, que nos ajude a vender o nosso peixe, construir a nossa marca e ser mais valorizado.  

Ao identificar os diferenciais e gerar coragem para mostrá-los ao mundo, você vai deixar de ser aquela “mola encolhida”. E eu acho essa parte da música do Lulu Santos uma analogia perfeita para explicar o que acontece com os empreendedores e empreendedoras que não conseguem identificar a sua missão e por isso mesmo não conseguem expressar o seu real potencial na vida. 

É impressionante como eles conseguem entrar em uma onda de liberação de sua identidade e espontaneidade quando encontram uma paixão, um propósito, uma causa de transformação por trás dos seus negócios. E o melhor disso é que é um processo sem volta, que só se aprimora no decorrer do tempo.

Explicado o que é branding pessoal, agora quero desfazer algumas confusões que circulam por aí sobre o tema, para que a gente tenha ainda mais clareza sobre os tais dos termos que envolvem esse universo.

O primeiro mito é que personal branding é apenas o marketing pessoal

Na minha opinião, o trabalho de marketing pessoal é uma continuidade no trabalho de marca pessoal, ou também podemos dizer que ele está contido em um trabalho de marca pessoal. O marketing pessoal engloba o conjunto de ações táticas para você chamar a atenção e se promover no mercado, como a sua imagem e estilo pessoal, ações de networking, ações em mídias sociais, eventos etc. É comum ouvirmos as pessoas associarem o termo marketing pessoal com “aprender a vender o nosso peixe”. E por isso ele está naturalmente contido em uma estratégia de gestão de marca pessoal que é o personal branding. Mas o processo de branding em si considera antes a sua visão, seu propósito, seus valores, suas paixões, sua identidade pessoal, que também chamamos de essência ou DNA da marca. 

Por isso, esse trabalho também é uma ferramenta de desenvolvimento pessoal super poderosa, que pode te ajudar a virar o jogo nos seus negócios. E que poucas pessoas estão fazendo porque ainda não despertaram do quanto isso destaca um profissional do outro.  E quem já está desperto vem se destacando rapidamente. 

Basta olhar à sua volta, especialmente nas redes sociais, e ver que existem anônimos se tornando verdadeiras autoridades na sua área porque sabem trabalhar bem a sua marca no mercado. 

Para fechar essa parte, o processo de branding pessoal tem uma outra grande vantagem: ele te obriga a encontrar o seu diferencial e a planejar as ações que vão ajudar seus clientes, e até mesmo quem nunca te viu na vida, a entender como você trabalha, e o que você tem a oferecer que ninguém mais oferece, ou seja, o seu borogodó.

O segundo mito é que personal branding é o mesmo que identidade visual

A identidade visual faz parte do trabalho de marca e nada mais é do que a soma de todos os elementos gráficos que um empreendedor ou uma empresa usa para comunicar ideias, valores e produtos, por exemplo.

Quando a gente fala de identidade visual, a gente se refere a logomarca, layouts, tipografia, cores e peças de divulgação. Quando você tem uma identidade visual bem definida, ao bater os olhos nos seus materiais de divulgação, o seu cliente já vai saber que é seu e conectar o que ele está vendo com toda a imagem que você trabalhou para que ele tenha de você. Percebe como aos poucos tudo vai se conectando?

O último mito de hoje é: branding é modinha

Branding não é uma moda passageira, minha gente. Tampouco uma novidade!

Na verdade, o processo de identificar o que nos diferencia de nossos concorrentes já existe há décadas. Para vocês terem uma ideia, o termo personal branding em si começou a ser usado nos anos 90. E está mais forte do que nunca e fazendo muitos profissionais se destacarem nos seus mercados de atuação.

No nosso caso aqui, que somos todos empreendedores e empreendedoras, a marca é a base da nossa reputação. Uma marca diz, isso é o que eu sou, é por isso que estou aqui. Marca gera conexão, é o que fica na mente das pessoas sobre um produto, um serviço, um empreendedor ou uma empresa, independentemente de você ter feito ou não alguma compra desse negócio. E é também o que acaba tornando seus clientes fiéis.

Bom, eu espero de coração que esse texto possa te ajudar a descobrir a vantagem de ser quem você é. Para terminar, quero te deixar com uma reflexão: o que será que essa essa peça única que é você pode fazer já para  viver do que ama, ter os clientes que deseja e alcançar suas aspirações mais ousadas na vida

E para o meu convite final vou usar uma frase que eu gostaria que fosse minha, mas não é. O americano Dan Schawbel, autor best seller e especialista em carreira disse algo instigante sobre marca pessoal e eu não poderia concordar mais: “o trabalho de marca pessoal é sobre desenterrar tudo o que é único e verdadeiro sobre você e deixar o mundo saber.”

Então bora identificar esse borogodó e ocupar o seu lugar no mundo? 

PS: Recebemos muitas perguntas sobre o curso de personal branding. O curso “Arrase na Marca Pessoal” está com vagas fechadas no momento, mas você pode colocar seu nome na lista de espera clicando AQUI.  Seja avisada em primeira mão por email quando abrirmos vagas. 

compartilhe:
Caroline Caracas
Caroline Caracas

outras postagens

Você está quase lá! Digite suas informações abaixo:

Sucesso

Você está quase lá! Digite suas informações abaixo:

Sucesso

Você está quase lá! Digite suas informações abaixo:

Sucesso

Você está quase lá! Digite suas informações abaixo:

Sucesso

Você está quase lá! Digite suas informações abaixo:

Sucesso

Você está quase lá! Digite suas informações abaixo:

Sucesso

Você está quase lá! Digite suas informações abaixo:

Sucesso

Você está quase lá! Digite suas informações abaixo:

Sucesso

Você está quase lá! Digite suas informações abaixo:

Sucesso

Você está quase lá! Digite suas informações abaixo:

Sucesso

Você está quase lá! Digite suas informações abaixo:

Sucesso

Você está quase lá! Digite suas informações abaixo:

Sucesso

Você está quase lá! Digite suas informações abaixo:

Sucesso

Você está quase lá! Digite suas informações abaixo:

Sucesso

Você está quase lá! Digite suas informações abaixo:

Sucesso

Você está quase lá! Digite suas informações abaixo:

Sucesso

Você está quase lá! Digite suas informações abaixo:

Sucesso

Você está quase lá! Digite suas informações abaixo:

Sucesso

Você está quase lá! Digite suas informações abaixo:

Sucesso

Você está quase lá! Digite suas informações abaixo:

Sucesso

Você está quase lá! Digite suas informações abaixo:

You have Successfully Subscribed!

Você está quase lá! Digite suas informações abaixo:

Sucesso

Você está quase lá! Digite suas informações abaixo:

Sucesso

Você está quase lá! Digite suas informações abaixo:

Sucesso

Você está quase lá! Digite suas informações abaixo:

Sucesso

Você está quase lá! Digite suas informações abaixo:

Sucesso

Você está quase lá! Digite suas informações abaixo:

Sucesso

Você está quase lá! Digite suas informações abaixo:

Sucesso

Você está quase lá! Digite suas informações abaixo:

Sucesso

Você está quase lá! Digite suas informações abaixo:

Sucesso

Você está quase lá! Digite suas informações abaixo:

Sucesso

Você está quase lá! Digite suas informações abaixo:

Sucesso

Você está quase lá! Digite suas informações abaixo:

Sucesso

Você está quase lá! Digite suas informações abaixo:

Sucesso

Você está quase lá! Digite suas informações abaixo:

Sucesso

Você está quase lá! Digite suas informações abaixo:

Sucesso

Você está quase lá! Digite suas informações abaixo:

Sucesso

Você está quase lá! Digite suas informações abaixo:

Cadastre-se para receber atualizações por e-mail

Adicione uma mensagem descritiva dizendo o que seu visitante pode esperar aqui.

Marketing por

Sucesso